Notícias

A ditadura em 50 fatos

28 / março / 2014

Mosaico_50 anos no golpe

 A DITADURA EM 50 FATOS

O golpe que deu início à ditadura militar completa 50 anos em 1º de abril. O regime durou de 1964 a 1985 e foi tema de quatro livros do jornalista Elio Gaspari – A ditadura envergonhada, A ditadura escancarada, A ditadura derrotada e A ditadura encurralada. A obra apresenta um panorama das mudanças sociais e políticas que o Brasil sofreu nesses vinte anos. Para cumprir tal proeza, GAspari reuniu mais de 2,5 mil documentos, entrevistou protagonistas do regime e pesquisou tudo relacionado ao período nos últimos 30 anos. E não chegou ao fim. Atualmente, Gaspari escreve um quinto livro ainda sem previsão de lançamento.

Abaixo, listamos alguns dos principais episódios da ditadura militar brasileira abordados nos livros de Gaspari:

1)      O presidente João Goulart é deposto e Ranieri Mazzilli assume a presidência do Brasil (1964);

2)      Baixado o primeiro Ato Institucional para legalizar as ações políticas dos militares no poder (1964);

3)      O marechal Humberto de Alencar Castello Branco assume a presidência (1964);

4)      Criação do SNI – Serviço Nacional de Informações (1964);

5)      Baixado o AI-2, que dissolve partidos, torna indireta a eleição presidencial e transfere processos políticos para a Justiça Militar (1965);

6)      Com o AI-3, Castello Branco torna indireta as eleições para os governos estaduais, e os prefeitos passam a ser escolhidos pelos governadores (1965);

7)      Criado o FGTS (1966);

8)      Com o AI-4, a Constituição de 1946 foi totalmente revogada e o Congresso Nacional foi convocado para votar e promulgar novo projeto de Constituição (1966);

9)      Eleição indireta do general Costa e Silva a presidente da República: a linha-dura chega ao poder (1967);

10)   Guerrilha do Araguaia (1967-1974);

11)   Estreia o show Opinião, com Nara Leão, Zé Keti e João do Vale (1968);

12)   Marcha dos 100 Mil (1968);

13)   Morte do estudante Edson de Lima Souto durante manifestação estudantil (1968);

14)   Baixado o AI-5 (1968);

15)   “Milagre econômico”: PIB brasileiro atinge crescimento de quase 10% ao ano (1968);

16)   Carlos Lamarca deserta e cai na clandestinidade (1969);

17)   Assassinato do líder guerrilheiro Carlos Marighella (1969);

18)   Nomeado por Médici, Geisel assume a presidência da Petrobras (1969);

19)   Costa e Silva sofre uma isquemia cerebral e é substituído por uma junta militar (1969);

20)   Exilados: Caetano Veloso e Gilberto Gil vão para Londres. Chico Buarque segue para Itália (1969);

21)   O papa Paulo VI condena a tortura brasileira (1970);

22)   Médici anuncia a construção da rodovia Transamazônica (1970);

23)   Seleção brasileira de futebol conquista o tricampeonato na Copa do Mundo (1970);

24)   O filme Laranja mecânica é proibido no Brasil (1971);

25)   Carlos Lamarca é assassinado no interior da Bahia (1971);

26)   Caetano e Gil voltam do exílio (1972);

27)   A TV a cores é oficialmente lançada no Brasil, após algumas transmissões experimentais (1972);

28)   O filme O último tango em Paris é proibido no Brasil (1972);

29)   Anistia Internacional divulga relatório com nomes de 472 torturadores e 1.081 torturados (1972);

30)   Médici chama Geisel ao palácio Laranjeiras e diz que ele será seu sucessor (1973);

31)   Sem chances de vitória, Ulysses Guimarães lança-se candidato à Presidência da República (1973);

32)   Geisel é eleito presidente da República (1974);

33)   Inauguração da ponte Rio-Niterói (1974);

34)   A censura proíbe o uso da palavra ‘recessão’ (1974);

35)   Ernesto Geisel anuncia “lenta, gradativa e segura distensão” (1974);

36)   D. Eugênio Sales trata com Geisel de tema delicados: os “desaparecidos” da ditadura (1974);

37)   O MDB elege 16 dos 22 senadores e aumenta de 87 para 160 o número de deputados (1974);

38)   Iniciada construção da usina hidrelétrica de Itaipu, à época a maior do mundo (1975);

39)   Empossados os 22 governadores “biônicos”, todos escolhidos por Geisel (1975);

40)   Geisel firma acordo nuclear com Alemanha para construção de oito usinas, das quais somente Angra 2 saiu do papel (1975);

41)   Morte do jornalista Vladimir Herzog, o Vlado (1975);

42)   Sônia Braga estrela o filme Dona Flor e seus dois maridos (1976);

43)   Morte do ex-presidente Juscelino Kubitschek (1976);

44)   Antes de ser eleito presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter condena a ditadura brasileira em entrevista à Playboy (1976);

45)   O MDB ganha as eleições municipais nas grandes cidades (1976);

46)   Geisel rompe acordo militar com os EUA por conta de um relatório do governo americano a respeito dos direitos humanos no Brasil (1977);

47)   Estudantes vão às ruas de São Paulo em passeata pela primeira vez desde 1968 (1977);

48)   Visita da primeira dama norte-americana Rosalynn Carter ao Brasil (1977);

49)   Instituído o divórcio (1977);

50)   Demissão de Sylvio Frota: Geisel restabelece o primado da residência da República sobre as Forças Armadas com a demissão do ministro do Exército (1977).

Leia mais Notícias

Edward Hopper e Joël Dicker: obras que exprimem melancolia e solidão

Edward Hopper e Joël Dicker: obras que exprimem melancolia e solidão

CONHEÇA QUENTIN JACOBSEN

CONHEÇA QUENTIN JACOBSEN

The No-Show, novo livro da Beth O’Leary, será lançado pela Intrínseca

The No-Show, novo livro da Beth O’Leary, será lançado pela Intrínseca

Saiba tudo sobre o novo livro da autora de A última festa e A lista de convidados

Saiba tudo sobre o novo livro da autora de A última festa e A lista de convidados

Comentários

Uma resposta para “A ditadura em 50 fatos

  1. Muito bom,tem praticamente todos os fatos políticos principais da Ditadura Militar, ótimo para memorizar, pois estou prestando concurso. Gostaria de saber se há algum documentário sobre as medidas políticas do governo de Castelo Branco, Costa e Silva, Médici e Geisel é sempre bom assimilar novos conhecimentos com conteúdo didático áudio visual. Obrigada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *