Notícias

Notas do set de A menina que roubava livros

6 / junho / 2013

A jaqueta que circulou pelos estúdios Babelsberg, em Berlim. A peça que Markus Zusak levou com ele na volta para Austrália será um presente para seu pai.

Markus Zusak voltou de Berlim com duas novidades para compartilhar com seus leitores. A foto acima, que não deixa dúvidas de que o novo clássico A menina que roubava livros está muito perto de ganhar as telas, e a certeza de que “não importa quão diferente o filme fique do livro, eles terão o mesmo sentimento. O que mais eu poderia pedir?”.

Eu seu tumblr, Zusak informou que as filmagens em Berlim já foram finalizadas e que sua incrível experiência no set o levou a algumas conclusões (descritas abaixo como nos velhos tempos):

* QUATRO PEQUENOS FATOS SOBRE AS FILMAGENS EM BERLIM *

1 – O elenco foi brilhante.
2 – Michael Petroni deu tudo de si no roteiro, que foi escrito com o amor e a coragem necessários para tomar as decisões difíceis.
3 – A Himmel Street realmente é a cara da Europa; tem a aparência e a sensação exatas.
4 – Brian Percival é claramente o diretor mais amado do mundo…

Com estreia prevista para 2014, a adaptação cinematográfica do romance será dirigida por Brian Percival (Downton Abbey) e estrelada por Sophie Nélisse (Liesel Meminger), Geoffrey Rush e Emily Watson.

Leia também: 3 perguntas para Markus Zusak

Tags , , .

Leia mais Notícias

Casamento no Corredor da Morte

Casamento no Corredor da Morte

A Casa de Hades: em outubro nas livrarias brasileiras

A Casa de Hades: em outubro nas livrarias brasileiras

Divulgado o primeiro pôster de “Pátria”, a próxima megassérie da HBO

Divulgado o primeiro pôster de “Pátria”, a próxima megassérie da HBO

Humanos e máquinas estão em guerra em Descender, novo quadrinho de Jeff Lemire

Humanos e máquinas estão em guerra em Descender, novo quadrinho de Jeff Lemire

Comentários

5 Respostas para “Notas do set de A menina que roubava livros

  1. Livro excelente, espero que o filme tb o seja.

  2. Amo A menina que roubava livros. Li cinco vezes. Há poucos dias estava assistindo a um filme quando de repente me deparei com uma cena que lembrava o livro. Minutos depois, outra cena me fez lembrar novamente o livro. Da terceira vez, não deu mais: inesperadamente pulei do sofá. Apontei para a TV e disparei: ‘A menina que roubava livros’! Daí em diante, tirando a Grande Guerra (o filme passa-se durante a Depressão), e a morte. Todos os elementos remetem ao livro. O filme chama-se Viagem Clandestina (The Journey of Natty Gann), de 1985 com Meredith Salenger;

    Uma garota que dá uma surra no colega, pula a cerca de uma fazenda para roubar, conhece um jovem rapaz que toca gaita. O pai é comunista, sai correndo floresta adentro… E eu não estou falando da Liesel! A personagem é Natty Gann. Quanto ao melhor amigo dela, vocês logo descobrirão. É isso, então… Por favor, acreditem no que eu digo. Nada disso pode ser só mera coincidência. É excessivo para ser só inspiração…

  3. Sou enfermeira e li a menina que roubava livros em 2008 durante duas madrugadas calmas no hospital , foi um presente que ganhei de um paciente, e confesso fiquei apaixonada pelo livro e pela e a leitura clássica ,quando assisti o filme foi como seu tivesse vivendo naquele mundo delicioso que é o da leitura. Parabéns o filme passa a mesma emoção que o livro embora o livro tem aqueles detalhes fascinantes onde eu consegui viajar muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *