Notícias

A biblioteca de Pat Peoples

8 / fevereiro / 2013

Pat Peoples não suporta finais infelizes. Recém-saído de uma temporada em um hospital psiquiátrico, o protagonista de O lado bom da vida volta a morar com os pais para reconstruir a vida e tentar se reconciliar com seu grande amor, Nikki. Para isso, o ex-professor de história de 30 e poucos anos segue uma rígida rotina de exercícios e inicia a leitura dos livros preferidos da ex-esposa, grandes clássicos da literatura norte-americana.

Em uma entrevista concedida à revista Veja, o autor Matthew Quick explicou que quando era professor de literatura recebeu o telefonema de uma mãe preocupada com a depressão do filho. Para ela, “a natureza triste dos livros que ele era obrigado a ler não estava lhe fazendo bem”. “Claro, eu acredito que devemos ensinar e ler os clássicos”, reflete Quick, “mas [ela] me fez reexaminar nossa grade de leitura. Praticamente todos os livros que eu ensinava acabavam em tragédia. O telefonema me impactou e fiquei pensando se realmente aquele montante de dramas não estaria fazendo algum mal para as jovens mentes.”

Leia também: Um conversa com Matthew Quick, autor de O lado bom da vida 

Pat passa a nutrir outro tipo de apreensão depois de ler o livro preferido de Nikki, O grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald. O desfecho do clássico o deixa desconcertado: se para Nick esse é o maior romance norte-americano já escrito, será que ela não acredita em finais felizes? E se ela não acreditar, como Pat irá reconquistá-la? O resultado da obsessão de Pat em tentar ao máximo agradar a ex-esposa são resenhas hilárias dessa e de outras obras, como:

Adeus às armas, de Ernest Hemingway
A letra escarlate, de Nathaniel Hawthorne
A redoma de vidro, de Sylvia Plath
O apanhador no campo de centeio, de J.D. Salinger
As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain

Confira o trecho de uma das “resenhas” abaixo:

O grande Gatsby, por Pat Peoples

A melhor parte é o ensaio introdutório, que afirma que o romance trata principalmente do tempo e do fato de que a pessoa não pode nunca recuperá-lo, que é exatamente como me sinto em relação a meu corpo e a meus exercícios — mas, então, eu também sinto como se houvesse um número infinito de dias até meu inevitável reencontro com Nikki.

Quando li a história propriamente dita — que conta como Gatsby ama Daisy, embora não consiga nunca ficar com ela, por mais que tente —, tive vontade de rasgar o livro ao meio, ligar para Fitzgerald e dizer que o livro dele está todo errado, embora eu saiba que Fitzgerald provavelmente já morreu. Em especial quando Gatsby é baleado mortalmente em sua piscina na primeira vez em que vai nadar naquele verão, Daisy nem mesmo vai ao enterro dele, Nick e Jordan se separam e Daisy acaba com o racista do Tom, cuja necessidade de sexo basicamente mata uma mulher inocente, dá para ver claramente que Fitzgerald nunca se deu o trabalho de olhar para a parte brilhante que há por trás das nuvens ao pôr do sol, porque não há nenhum lado bom no fim daquele livro, vou lhe contar.

O lado bom da vida: o filme 

Cena do filme O lado bom da vida, com Bradley Cooper e Jennifer Lawrence

Dirigida por David O. Russell, a adaptação cinematográfica de O lado bom da vida é estrelada por Bradley Cooper (Se beber não case), Jennifer Lawrence (Jogos vorazes) e Robert De Niro. Por sua atuação como Tiffany, Jennifer Lawrence recebeu o Oscar e o Globo de Ouro de melhor atriz. A comédia recebeu oito indicações ao Oscar.

Leia mais Notícias

A pequena cozinha de Rachel Khoo em Paris

A pequena cozinha de Rachel Khoo em Paris

Filmagens de A culpa é das estrelas devem começar em 2013

Filmagens de A culpa é das estrelas devem começar em 2013

Novo livro do autor de Um dia chega às livrarias em abril

Novo livro do autor de Um dia chega às livrarias em abril

Comunicado sobre os eventos de lançamento de Não se humilha, não

Comunicado sobre os eventos de lançamento de Não se humilha, não

Comentários

3 Respostas para “A biblioteca de Pat Peoples

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *