Notícias

Grito de guerra da mãe-tigre

17 / janeiro / 2011

Recém-lançado na Inglaterra e nos EUA, Grito de guerra da mãe-tigre, queterá edição nacional pela Intrínseca no primeiro semestre de 2011,tem ganhando grande destaque na imprensa norte-americana.

Na obra, a filha de chineses Amy Chua, professora de Direito de Yale, relata a experiência de ter criado as filhas, nos EUA, ao modo chinês tradicional: pouca liberdade, nenhum elogio, muito estudo e cobranças. O resultado? Muita polêmica.

“Esta é uma história sobre uma mãe, duas filhas e dois cachorros.
Era para ser uma história de como os pais chineses são melhores educadores do que os ocidentais.
Mas em vez disso, é sobre um amargo choque de culturas, um fugaz sabor de glória, e sobre como uma menina de treze anos me deixou humilde.”

Leia mais Notícias

Estrelado por Anne Hathaway, One Day chega às telas em 2011

Estrelado por Anne Hathaway, One Day chega às telas em 2011

Como vencer as eleições presidenciais

Como vencer as eleições presidenciais

Livro sobre a gripe espanhola chega às livrarias em maio

Livro sobre a gripe espanhola chega às livrarias em maio

Nath Finanças é a nova autora da Intrínseca

Nath Finanças é a nova autora da Intrínseca

Comentários

4 Respostas para “Grito de guerra da mãe-tigre

  1. Confesso que estou curiosa para ler o livro. Sempre achei a educação chinesa muito ruim e incompatível com os preceitos de liberdade, democracia e principalmente da construção de um ser humano integral. É quase incoerente imaginar alguém vivendo a cultura norte-americana, professora de uma Universidade manter vivo padrões arcáicos.

  2. O que são seres humanos integrais?, futuros delinquentes, irresponsáveis e despreparados, crio minha filha da maneira ensinada, esperando que seja uma pessoa plenamente preparada par o mundo e suas dificuldades

  3. Que livro extraordinário! Estou em periodo de férias e as aproveitei muito bem fazendo essa leitura. O livro é fantástico e inspirador. Apesar de intrigante é uma bela reflexão para nós quanto a como devemos educar nossas crianças.É bem verdade que há trechos que a autora é bem radical, mas não podemos negar que a disciplina, o esforço e a determinação são fundamentais para sermos bem sucedidos no mundo competitivo que vivemos. Concluo a leitura com o desfecho: Equilíbrio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *