Crepúsculo / A Poesia da Vida

Fórum de discussão oficial

Você não está logado.

#1 17-07-2010 00:18:43

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

A Poesia da Vida

http://img130.imageshack.us/img130/6720/vaziocpiabh8.jpg

Sinopse: Larissa foge de casa aos 15 anos aparentando ter 18. Consegue ir para os Eua. Lá encontra dificuldades para estudar e também para seguir o seu grande sonho. Mas tudo começa a dar certo quando um "anjo" cai em sua vida literalmente. Angelo, professor de música e história dos Eua a acolhe em sua casa e em sua vida. Larissa vê nessa oportunidade conquistar seu sonho, modificando seu nome para Lisbeth Angel Spock abandona seu passado. Suas habilidades são logo vistas pelo seu tutor e com a ajuda deste começa a realizar seu sonho de ser cantora e acaba recebendo mais que apenas o seu sonho e novos horizontes se abrem para ela. Anos mais tarde, no apíce de sua vida artistíca, Larissa estava com 19 anos quando o seu pequeno paraíso na Terra desmorona. Seu tutor, amigo e amante e morto por assaltantes quando voltava para casa. Larissa se vê sozinha e abandonada novamente se torna fria e destroi sua vida aos poucos, mas sempre dando aos seus fãs a prova dessa destruição. Aos 21 anos encontra um rapaz que a fará ver novamente as coisas boas da vida e se apaixona por ele. Enfim conseguirá escrever uma música de seu coração.

Personagens:

http://img64.imageshack.us/img64/1117/ogaaaebt1mdyz4kawzblvwn.jpg

Larissa Cunha/ Lisbeth Angel Spock

http://img693.imageshack.us/img693/4113/sethz.jpg

Matheus Tavares

http://img401.imageshack.us/img401/9640/tomcruiseg.jpg

Angelo Martins Spock

http://img696.imageshack.us/img696/9948/ogaaajg6stntittblwbxhze.jpg

Sthefanny Tanner


http://img213.imageshack.us/i/008marinahuckma5.jpg/

Sandy Linton

http://www.pida.com.br/colunas/baladagospel/public_html/colunas/baladagospel/wp-content/uploads/2010/01/645689_165.jpg

Senhora Mariana Cunha

http://www.quintacategoria.com.br/wp-content/uploads/2009/01/mariana_bridi.jpg

Camilla Cunha

http://img69.imageshack.us/img69/3742/leonardodicapriopic.jpg

Marcos Barroso



N/A: Gente isso e so a Sinopse ^^ se gostarem eu postarei o prologo ^^
Bjinhos

Última alteração por Dandy L. (18-07-2010 01:11:05)


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#2 17-07-2010 00:53:17

Asile Dardan
Superfã
Cadastrado: 21-05-2009
Posts: 449

Re: A Poesia da Vida

Muito bom!
Vou ler!
XD


ps.: 1º Post!
       Iupiiiiiiiiiiii!
kkkkkkkkkk

Última alteração por Asile Dardan (17-07-2010 00:54:21)


- O futuro pertence, a quem acredita na beleza de seus sonhos! -
           
          Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ ... ~ Elisa Poмραttuя ~ ... Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

Offline

 

#3 17-07-2010 00:54:19

Sandy ૪
Ultrafã
De: мĭηαک Gєяαĭک',
Cadastrado: 04-03-2010
Posts: 1151
Website

Re: A Poesia da Vida

Mamiis tá maoo dá hr mt lgl e eu qro maiis
Filha presente na vida da mamiis...
Uii eu ser d+ tá parey ~'

Última alteração por Sandy ૪ (17-07-2010 00:54:54)


-Não quero outra ilusão,não quero machucar ninguém  e nem sair machucado novamente.

Offline

 

#4 17-07-2010 00:56:20

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Asile Dardan escreveu:

Muito bom!
Vou ler!
XD


ps.: 1º Post!
       Iupiiiiiiiiiiii!
kkkkkkkkkk

Vlw Amore ^^
Logo vou postar ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#5 17-07-2010 00:57:17

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Sandy ૪ escreveu:

Mamiis tá maoo dá hr mt lgl e eu qro maiis
Filha presente na vida da mamiis...
Uii eu ser d+ tá parey ~'

Filhota! *-*

Obrigada!

Claro como mãe e presente na vida da filha ^^

Se achou nah ^^ mas eu gosto ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#6 17-07-2010 01:20:29

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Prólogo...

    Uma casa simples e muito bonita. Vejo a árvore bem ao longe como ela disse. A casa têm dois andares. A janela de seu quarto esta fechada, como também ela havia dito. Como deveria ser por dentro? Será que ela já tinha aquela parte rebelde de quando eu a conheci?

    Toco a campainha e espero alguém vir me atender. Quando a porta se abre fico sem palavras. Uma menina de um 14 ou 15 anos atendeu-me.
-Pois não? - perguntou ela - O que deseja?
    Ela havia me avisado que tinha uma irmã mais nova, mas não que parecesse tanto com ela. Talvez ela não soubesse o quanto a irmã se parece com ela, ou parecia.

- Bem... - comecei - Aqui e a casa da Srª Mariana Cunha?

-Sim pode entrar - disse a menina dando-me passagem e me levando até a sala - Sente-se vou chamar a minha mãe.

    Ela saiu indo para o segundo andar da casa, eu fiquei a admirar a sala. A escrivaninha era cheia de fotos dela e de sua irmã, mas todas as fotos dela eram antigas. Reparei num porta retrato vazio perto de um jarro cheio de rosas brancas. Tirei do paleto a foto que ela havia me dado junto com a carta, ouvi passos descendo as escadas um pouco mais devagar que os passos da irmã dela. Diante dos meus olhos apareceu uma senhora de uns 58 anos. Sem dúvida nenhuma ela havia puxado a mãe em alguns aspectos físicos.
- Pois não? - ela perguntou

- A senhora deve ser a Dona Mariana. - disse - Estou certo?

- Sim, sou eu mesma - respondeu-me ela - O que desejás nesse fim de mundo, rapaz?

- Reconheces está foto? - perguntei lhe mostrando a foto que esa em minhas mãos. Ela a pegou hesitante, quando tirou os olhos de mim e olhou a foto, vi um sorriso aparecer em seus labios.

- Oh! Meu Deus! - disse ela feliz e nervosa - Você conhece a minha filha? Você conhece a Larissa?

    Seu nome pronuciado por aquela voz fez-me perceber que apenas eu poderia dar aquela noticia a ela. Exatamente como ela mandou-me fazer, seu ultimo pedido. Ultimo...

- Conheci, sim - disse e respirei fundo preparando-me para dizer aquilo que doia tanto em meu peito - Eu.. Eu venho aqui para lhe trazer uma notícia nada agradável.

    Quando disse essas palavras, com minha voz tremula, o sorriso de Dona Mariana muchou em seus lábios, ela se sentou cabaleante no sofá e assim ficou por um tempo. Percebendo que a filha que amava, e que a esperança desta voltar haviam sido destruídas com minhas poucas palavras. Sabia qual era aquela sensação. Não como pai, mas sim como uma das pessoas que a amou.

- Como ela morreu? - perguntou-me por fim.

- Vou lhe contar como ela viveu - disse - Foi a tarefa que ela deixou-me.

- Entendo - disse ela - Mas... o que exatamente ela quer.. queria?

    Peguei a carta que estava junto com a foto e a entreguei. A folha estava amaçada de tanto ela segurou aquela folha, tantas vezes no hospital há vi passar as mãos naquele papel. Lembrei-me da última vez que ela segurou esta folha e sua decisão.

"-Entregue isto a minha mãe - disse ela - Prometa-me que fará isso, e que fará também tudo o que está ai.

- Porque você mesmo não entrega - eu disse - Eu já lhe disse que você vai sair dessa.

    Ela sorriu. Um sorriso cansado, mas cheio de amor e ternura.

-Sei que prometi viver - ela disse - Mas este corpo esta cansado de lutar, talvez ele não aguente, isso e só caso eu não consiga.

    Eu me ajoelhei de seu lado e beijei-lhe os lábios deleicadamente. Acariciei seu rosto e percebi que ela esta febril novamente.

- Você irá conseguir - eu disse firme - Mas tudo bem, farei o que me pede."

    Foi a última vez que a viu, viva pela menos. A última vez que a viu sorrir. Ficou isolado do mundo. Não queria nada com eles, seus fãs pouco importava, Nova York muito menos. Ele queria que o mundo explodisse. Principalmente aqueles filhos da p*** dos antigos empresarios dela. Acho que se não fosse pela Sthefanne e pela Sandy eu teria estragulado um por um. Como sentia falta da sua voz. Como sentia falta das tola brincadeiras. Das loucuras que ela fazia. Quando ela tocava. A felicidade quando conseguia compor a música, adorava ve-la irritada com os empresarios maricas. A falta de seus beijos e sorrisos. Ele suspirou e voltou a realidade. A mãe dela terminava de ler a carta, lágrimas escorriam de seus olhos. Depois de um tempo ela olhou para foto e suspirou.

- Contarei tudo - disse ela - Sobre como era ela naquele tempo. Espero que você faça o mesmo.

- Farei - disse - Foi o que prometi.

    A droga da promessa. Mas talvez naquela explicação conseguiria ver tudo claramente novamente e ver o quanto as coisa poderiam ficar menos complicadas quanto parecia.


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#7 17-07-2010 01:27:04

Asile Dardan
Superfã
Cadastrado: 21-05-2009
Posts: 449

Re: A Poesia da Vida

Putz!
Essa vai ser poderosa!
kkk
Gostei muito!

ps.: 1 post de novo!
vou acabar me acostumando!
kkkkkkk
bjinhu


- O futuro pertence, a quem acredita na beleza de seus sonhos! -
           
          Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ ... ~ Elisa Poмραttuя ~ ... Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

Offline

 

#8 17-07-2010 05:34:57

..Gi Peraro..
Banido
De: Quem sabe?
Cadastrado: 24-12-2009
Posts: 3488
Website

Re: A Poesia da Vida

Amei...
Vc escreve bem...
POSTA mais!!!

Offline

 

#9 17-07-2010 18:25:07

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Asile Dardan escreveu:

Putz!
Essa vai ser poderosa!
kkk
Gostei muito!

ps.: 1 post de novo!
vou acabar me acostumando!
kkkkkkk
bjinhu

Obrigada amore pelo seu comentario ^^
Logo tem mais ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#10 17-07-2010 18:28:51

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

..Gi Peraro.. escreveu:

Amei...
Vc escreve bem...
POSTA mais!!!

Own *-*

Obrigada Gii ^^

Logo logo postarei mais ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#11 17-07-2010 21:00:08

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

1º Fugir, sonhar, viver! Going Under - Evanescence

    Ela sacudiu a cabeça afirmando. Chamou pela filha e pediu que preparasse um café e que depois voltasse para a sala. Peguei a camera que estava na pequena pasta que havia trago. Preparei tudo. Sentia os olhos de Dona Mariana em minhas costas. Tentava não prestar a atenção nisso, eu percebi que não havia perdido a prática do meu oficio. Uma coisa que eu queria ter perdido, mas que pelo menos veio a calhar nesse momento. Quando sentei-me novamente no sofá estava totalmente destruido, odiei-me a fazer aquilo novamente.

- Você e jornalista? - perguntou Dona Mariana depois de algum tempo.

- Já fui - disse

- Percebo que não sente prazer nisso - disse ela - Há algum motivo para isso?

- Cansei-me de ser isso que sou - disse - De inventar coisas que são fora da realidade, ela me fez repensar sobre o que sou, o que fazia. Para mim voltar a fazer isso, depois de te-la magoado por causa do que faço. Doi e muito.

    Dona Mariana ficou um momento em silêncio. Sabia que estava pensando no que havia falado. Antes que pudesse responder o que eu acabará de falar sua filha entrou na sala com uma bandeja nas mãos, colocou em cima da mesinha e se sentou ao lado da mãe. Olhei mais uma vez para carta em cima da mesa e suspirei. Apertei o botão da camera.

- Pode começar Dona Mariana - disse

- Tudo bem - disse ela, suspirou - Larissa era uma menina sonhadora, mas tinha os pés no chão. Era animada e divertida, levava a alegria com ela em toda parte. Suas brincadeiras eram totalmente mirabolantes. Ela sempre teve a ídeia fixa de ser cantora. O pai não aceitava isso de modo algum. Queria que ela fosse uma médica ou advogada.

- Ela fez a faculdade de advocacia - disse ele cortando Dona Mariana - Mas seguiu a carreira de cantora.

- Fes a vontade do pai mais seguiu seu sonho - disse ela - Bem a cara dela.

"Tivemos muitos desentendimentos quando ela completou 11 anos. O pai aceitava que ela sonhasse com ser cantora quando era criança, mas depois ele discutia com ela bastante. A casa era uma guerra constante entre os dois. Quando ela completou 12 anos, eu tive a Camilla."

    Dona Mariana olhou para filha e sorriu um pouco, a irmã nada dizia. Prestava a atenção na história como se cada palavra fosse um tesouro que a mãe lhe dava.

- As brigas diminuiram um pouco - continuou - Larissa adorava cantar para a irmã dormir. Mas quando Camilla completou 2 anos as brigas voltaram. So que mais perigosas. A convivencia entre meu marido e Larissa era estranha, as vezes nem se falavam.

"Lembro-me que a discução ficou tão seria que meu marido deu um tapa em seu rosto, fiquei completamente chocada por causa daquilo, ainda mais com o fato de Larissa ainda sorrir e dizer ao pai que se lembraria daquilo. Ela nunca mais falou com o pai. Dos 14 perto dos 15 anos ela começou a trabalhar na loja de meu irmão, mas depois arranjou um emprego numa lanchonete como garçonete."

- Eu não sabia que lanchonete era aquela - disse Dona Mariana - Acabamos indo essa tal lanchonte sem saber. O problema não era o pai dela ver ela como garçonete e sim como cantora de palco.

- Então a lanchonete deixava suas garçonetes cantarem num pequeno show? - perguntei

- Sim - disse - Isso não importou-me muito até ouvir a voz de Larissa. Virei-me para o palco e vi a minha filha cantando. Era lindo ver aquilo, mas também significava perigo. Meu marido elogiou a voz da menina que cantava, mas achou um absurdo os pais deixarem isso acontecer. Eu tremia ao ver minha filha ali e com o fato de seu pai ve-la. Mas Larissa cantou duas músicas seguidas, mas meu marido nem se importou. Ate o momento em que o dono do bar foi ate o microfone agradecer sua participação naquela noite. Ao ouvir a voz da filha agradecendo pelos elogios meu marido se virou. Seus olhos encararam Larissa de uma forma que me fez temer pela minha filha. Larissa so percebeu que o pai estava ali quando ja era tarde. Ela tentou sair dor palco, mas meu marido chegou antes. A agarrou pelo braço enquanto ela se debatia.

" - VAMOS EMBORA AGORA! - gritou Alexandre - NUNCA PENSEI QUE VOCÊ ME FARIA PAGAR ESSA VERGONHA LARISSA!

-ME LARGA! - disse ela - VOCÊ NÃO SABE DE NADA!

    Alexandre soltou o braço da filha e deu-lhe um tapa que fez cair por cima do palco. Larissa se arrastou pelo chão fugindo do pai.

- Querido pare! - disse Mariana agarrando o braço do marido tentando sem sucesso impedi-lo - Vai machuca-la!

-LALRGUE-ME MULHER! - disse ele - ELA MERECE APANHAR POR ME FAZER PAGAR ESSA VERGONHA! ESSA VAGABUNDA!

- Pare com isso Compadre - disse Marcos - Ela e sua filha!

- NÃO ESSA VADIA, NÃO E MINHA FILHA! - disse Alexandre - FILHA MINHA NÃO SOBE EM PALCO PARA SE OFERECER!"

- Ele fez isso? - perguntou Matheus assustado.

- Sim - disse Dona Mariana - Quando chegamos em casa ele a empurrou para o quarto e fechou a porta atrás de sí e começou a bater nela, sempre gritando. Tentei para-lo, mas ele me empurrou para fora do quarto e trancou a porta. Larissa chorava enquanto o pai batia nela e a chamava de p*** e vadia. Depois de alguns minutos meu marido saiu e trancou a porta atrás de si e disse que se eu entrasse la ia ser a proxima. Fiquei ouvindo os soluços da minha filha sem poder fazer nada. Na manhã seguinte ele me deu permissão para levar comida para ela. Assustei-me ao ver su pele toda marcada. Mas ela não fez nenhum movimento para comer. Quando fui abraça-la ela se afastou de mim gritando.

" - SAIA DAQUI! - disse Larissa - NÃO QUERO SUA COMPAIXÃO! SAIA! SAIA!"

- Larissa depois de três dias desceu para almoçar conosco - continuou - As manchas estavam sumindo aos poucos. Ela não falou com ninguém, nem demonstrou afeto a não ser com a irmã. Comeu e disse que ia passar na casa de uma amiga. O pai disse que a queria de volta antes das cinco. Larissa assentiue saiu. - suspiro - Descobri alguns anos mais tarde que ela não tinha ido para casa de amiga alguma e sim ido a rodoviaria comprar uma passagem para o centro do Rio.

- Então que naquela noite... - comecei

- Ela ia fugir. - completou ela - Ela voltou para casa antes das cinco e se trancou no quarto. Desceu para o jantar e depois foi ao quarto da irmã quando era dez horas da noite ela foi para seu quarto.

- Então? - perguntei

- Na manhã seguinte entrei em seu quarto para chama-la para o café da manhã, se não ela ia se atrasar para escola. - ela disse e suspirou - Quando entrei no quarto ela não estava, sua cama estava arrumada, encontrei uma carta na comoda explicando tudo. Eu não acreditei e abri seu armario, mas não havia nada.

- Ela havia partido - eu disse

- Ela partiu. - disse Dona Mariana segurando a mão da filha mais nova.

Última alteração por Dandy L. (17-07-2010 22:00:11)


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#12 17-07-2010 22:19:28

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Comentem ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#13 17-07-2010 22:38:08

Asile Dardan
Superfã
Cadastrado: 21-05-2009
Posts: 449

Re: A Poesia da Vida

Olha eu aqui de novo!
Não sei bem  que dizer!
Ta bem realista!
Muito bom!
Continua!
Bjinhus

ps.: 1º Post de novo!
      kkkkkkkkkkkkk
XD

Última alteração por Asile Dardan (17-07-2010 22:41:41)


- O futuro pertence, a quem acredita na beleza de seus sonhos! -
           
          Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ ... ~ Elisa Poмραttuя ~ ... Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

Offline

 

#14 17-07-2010 22:49:37

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Asile Dardan escreveu:

Olha eu aqui de novo!
Não sei bem  que dizer!
Ta bem realista!
Muito bom!
Continua!
Bjinhus

ps.: 1º Post de novo!
      kkkkkkkkkkkkk
XD

Obrigado Amore ^^
e se realista e bom ?? o.o
Pode deixar que logo postarei mais ^^

Vai acabar acostumando se sempre o 1º post ^^

Bjinhos


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#15 18-07-2010 01:12:07

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Atualizado os Personagens...

No decorrer da história haverá mais ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#16 18-07-2010 01:27:56

Asile Dardan
Superfã
Cadastrado: 21-05-2009
Posts: 449

Re: A Poesia da Vida

Dandy L. escreveu:

Asile Dardan escreveu:

Olha eu aqui de novo!
Não sei bem  que dizer!
Ta bem realista!
Muito bom!
Continua!
Bjinhus

ps.: 1º Post de novo!
      kkkkkkkkkkkkk
XD

Obrigado Amore ^^
e se realista e bom ?? o.o
Pode deixar que logo postarei mais ^^

Vai acabar acostumando se sempre o 1º post ^^

Bjinhos

Em minha op. é otimo!
Quanto mais detalhes realistas, por mais que a hist. seja ficção, tornar-se-a real!
entende?!

Me acostumo numa boa!
kkkkkkkkkkk
Amei os personagens!
big_smile


- O futuro pertence, a quem acredita na beleza de seus sonhos! -
           
          Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ ... ~ Elisa Poмραttuя ~ ... Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

Offline

 

#17 20-07-2010 21:51:57

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

2º Reencontro Fracassado - Everybody's Fool - Evanescence
   
    Olhei mais uma vez para as fotos na comoda. Os sorrisos nas fotos eram reais, mas nas primeiras fotos que tirei dela o sorriso era forçado. Eu não acreditava no que o pai lhe fez, era impossível um pai fazer isso.

- A senhora voltou a ve-la novamente? - perguntei engolhindo o nó em minha garganta.

- Apenas uma vez - disse Dona Mariana.

-Quando...? - comecei mais a campanhia soou no hall. Camilla se levantou rapidamente e foi atender a porta.

- Ai como estou cansado e faminto - disse uma voz de homem - Flor tem algo preparado para comermos?

- Desculpe Tio - disse Camilla - Ainda não, temos uma visita.

- Visita? - perguntou o homem se aproximando da sala. Ele olhou para Dona Mariana depois seus olhos pararam em mim seus olhos se arregalaram - O que diabos...

- Acalma-se tio - disse Camilla ela virou-se para mim - O senhor pode desligar a camera por alguns minutos?

    Assenti apertando o botão da máquina. Dona Mariana se levantou e passou os braços ao redor do homem. Fiquei surpreso ao ve-la se desmanchar em lágrimas assim, quando contei-lhe o que tinha acontecido ela derramou algumas lágrimas, mas agora... Talvez aquele homem fosse o que ela precisava para soltar-se. Senti-me um completo idiota. Coloquei o rosto nas mãos. Senti as lágrimas ameaçarem a cair. Eu não poderia chorar. Que maldita ídeia ela tinha que ter!

" - Você é único que pode contar minha história dessa forma Matheus - disse-me ela - MAIS QUE m**** ENTENDA ISSO! QUANTOS ME FARIAM FICAR COMO A p*** QUE RETRATAM? MUITOS! - suspiro. Vi as lágrimas escorrerem de seus olhos - Só você pode fazer isso, entenda... Eu sei que vai ser díficil. Mas eu quero ter uma forma de me desculpar, uma forma... de contar a minha história, sem fantasias e so você fará isso. Eu confio em você!"

    Ela confiou em mim, mesmo depois daquilo que fiz ela ainda confiou em mim. Se não fosse aquele maldito assassino estariamos aqui juntos. Ela estaria aqui desculpando-se, estariamos aqui para dizer o que planejavamos. O noivado, o casamento que seria dentro de algumas semanas. Respirei fundo e olhei para Dona Mariana que secava suas lágrimas, o homem disse algo ao seu ouvido e ela assentiu. Eles se sentaram juntos no sofá a minha frente, Camilla se sentou no braço do sofá. Eu não sabia o que deveria realmente falar, mas ao olhar para Camilla, seus olhos como os de Larissa pareciam chamas verdes esmeralda. Sabia que por trás daquelas malditas lentes que Larissa usava seus olhos esmeralda sempre brilhavam daquele jeito. Ajoelhou-me na frente de Dona Mariana e peguei sua mão, ela olhou-me tristemente. Eu racionalmente não saberia o que dizer, mas que se dana-se minha parte racional!

- Dona Mariana, eu sei que com a notícia que eu lhe trouxe - disse - A senhora esta triste, triste e pouco! Mas eu sei pelo que a senhora esta passando, claro não como alguém da família, mas sim como uma pessoa que a amava. Eu amava, não, eu amo a Larissa como nunca amei ninguém em toda a minha vida! Se ela não tivesse morta, hoje estariamos eu e ela aqui, ela estaria lhe pedindo perdão por te-la abandonado e também ia trazer uma notícia maravilhosa. Eu viria aqui pedi a mão da sua filha em casamento e claro que lá em Nova York estava tudo organizado, mas eu queria fazer o certo. Eu sei que e pedir que a senhora continuasse e ruim, horrivel de minha parte, porém a Larissa queria que o mundo visse o quanto ela lutou pelo seu sonho... E apenas isso que lhe peço.

    Dona Mariana olhou de mim para os retratos de sua filha. As lágrimas voltou a cair de seus olhos. Sua filha colocou a mão em cima de seu ombro e sorriu depois assentiu. Olhou para mim.

- Agora, o senhor deve perguntar a mim - disse ela - Pois quem falou com a Larissa fui eu, mas minha mãe e meu falecido pai a viram, mas e claro que quando ela os viu ela saiu de la.

    Levantei-me do chão e sentei-me no sofá. Mas antes queria tirar tudo a pratos limpos.

- O pai de vocês morreu? - perguntei

- Sim - disse Camilla - Morreu alguns anos, dois anos depois que Larissa veio para cá. Pode ligar a camera se quiser. - assenti e liguei a camera ela suspirou - Eu estava na escola na hora da saida, meus pais estavam demorando aquele dia para ir buscar-me. Tentei varias vezes ligar, mas o telefone de casa chamava e ninguem atendia. Então o único jeito era ir andando ou esperar, mas resolvi esperar - suspiro - Foi então que o alvoroço começou. Uma linda moto preta parou no portão da escola, mas havia mais três motos atrás dela. Era Lisbeth Angel Spock, a garota adolescente mais famosa que existia. Uma multidão se formou na frente dela, os guardas costas tinham que ser rápidos, mas havia algo estranho nela. Ela parecia a mim muito triste.

- Triste? - perguntei surpreso

- Sim - disse Camilla - Como se tivesse acontecido algo ruim para ela, e que também voltar aquele lugar era díficil para ela. Eu sempre quis ve-la pessoalmente, ou pelo menos ter uma foto, mas meu pai nunca deixou eu ter nada dela. Foi uma surpresa eu ver ela caminhar em minha direção convicta. Eu não sabia o que fazer, se saia correndo ou outra coisa qualquer, mas antes de eu tomar qualquer decisão ela ja estava na minha frente.

- O que ela fez? - perguntei

- Ela...

"- Olá Camilla - disse Lisbeth numa voz baixa - Quanto tempo que não a vejo. E olha só já esta uma moça!

-Voc..Você me conhece? - perguntou Camilla abismada. Viu o sorriso da garota sumir e seus olhos se estreitarem.

- Ele não contou - disse ela - Ele realmente... é um hipócrita.

- Quem? Quem não me contou? - disse Camilla

    A garota olhou para ela com olhos tristes e cansados. Colocou os dedos nos olhos e tirou duas lentes, Camilla arfou ao ver os seus próprios olhos a encarando..."

- Ela tirou a lente dos olhos - disse Camilla - Os meus olhos encaravam-me tristemente. Sentamos perto num banco perto da escola e ela começou a me contar... Disse que era minha irmã Larissa e que teve que mudar de nome para ficar anonima nos EUA . Para mim aquilo era estranho, mas ao ouvir sua voz... Nada para mim era mais mentira. Foi quando meus pais chegaram. Larissa foi a primeira a ve-los. Virei-me fiquei contente e ja ia chama-los para ve-la, mas ela segurou minha mão...

"- Camilla aconteça o que acontecer - disse ela - Eu sou sua irmã, não importa o que seu pai diga. - ela se levantou colocando as lentes - Seu futuro esta garantido enquanto você me aceitar... Até algum dia irmã."

- Ela foi embora - disse Camilla - E nunca mais a vimos.

- Mas ela não mandou cartas? Nem nada? - perguntei

- Sim, mas nunca chegavam a mim - disse Camilla - Meu pai as queimava, não importva se tinha dinheiro ou não e quando minha mãe discutia...

"- Não quero dinheiro dessa mulher - disse ele - Minha filha morreu! LARISSA ESTÁ MORTA, MORTA OUVIU?"

- Ele nunca a aceitou - disse Matheus - Nunca.

- Ele morreu sem aceitar - disse Dona Mariana - Que a sua filha fosse o que era. E que seu sonho ajudou-nos muitas vezes.

- Nenhum pai - comecei - Poderia fazer isso...

- Mas fez - disse o homem ate um tempo calado - Larissa antes de partir falou comigo em minha oficina. Eu era jovem naquela epóca, tinha 25 anos quando ela apreceu... Nossa fiquei tão surpreso que... chorei de emoção. Ela não estava morta para mim bastava.

- O senhor é? - perguntei

- Marcos - disse ele - Antigo Compadre de Alexandre. Agora amigo de Dona Mariana e Tio de Camilla. Moro aqui des do falecimento de Alexandre.

- O senhor a viu? - perguntei

- Sim - disse ele - Era de tardinha estava entregando o último carro que havia concertado. Quando ela aparecu. Estava diferente do que eu lembrava, mas era ela.

" - Será que como velhos amigos você pode dar uma olhada na minha moto? - perguntou ela sorrindo um pouco."

- Coversamos ate a noite - continuou ele - Era tão bom ve-la, ouvi-la novamente. Depois de dar uma olhada na moto dela perguntei-lhe se iria para antiga casa dela.

"- Marcos, eu não tenho casa aqui, nem parentes - disse ela - Ou melhor tenho, uma irmã. Nada mais além dela e de um amigo."

- Fiquei tão chocado que nada, nada me faria entender - disse ele - Como ela ficou fria daquele jeito. Não pude contra atacar com algo inteligente, pois o telefone da oficina tocou. Era Camilla ligando para mim radiante. Larissa sorriu ao ouvir o que a irmã falava dela, mas seu sorriso desapareceu ao ouvir a voz do pai, mandando Camilla desligar. Ela pegou a moto. Mas antes de sair meu entregou um envelope.

"- Aqui tem dinheiro o suficiente para você pagar a oficina - disse ela - Além de ajudar a Camilla e .... a minha mãe também."

- Então ela partiu - disse ele - O reencontro foi fracassado, pelos fantasmas do passado que ela tanto destestava.


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#18 21-07-2010 01:01:17

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

LEIAM E COMENTEM!! ^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#19 21-07-2010 19:50:54

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

3º Chegada em Nova York! - I Write Sins Not Tragedies (Panic! At the Disco)

    Eu estava abismado com tudo aquilo. Desliguei a camera e olhei para a aliança de noivado em meu dedo. Como que eu queria que ela estivesse aqui. Como seria tão fácil.

- Nunca imaginei que... a história dela aqui tenha terminado assim - eu disse

- Infelismente foi assim que terminou - disse Dona Mariana - E isso doi. Doi saber que eu não tive tempo de me desculpar.

- Ela nunca ficou chateada com a senhora - disse Matheus - Não realmente.

    Dona Mariana assentiu. Filha e amigo seguraram ambas as mãos dela. Matheus se sentiu sozinho, pois ninguém poderia conforta-lo, não realmente. Não da forma que esperava.

- O senhor disse que ia contar como era Larissa - disse Camilla virando-se para mim - Antes dela morrer.

    Isso o fez sorrir, como a conheceu era a parte mais louca de toda a sua vida.

- Vou contar como a conheci - disse ele - Isso pode demorar, pois a história e bem longa e muito, muito louca! Vocês não irão reconhecer a Larissa na Lisbeth que conheci. Mas entendo porque ela ficou daquele jeito, pena que foi tarde que ela começou a voltar a ser o que era.

    Eles sorriram tentando imaginar do que ele estava falando. Matheus suspirou e pegou o gravador. Tinha que colocar as coisas em ordem.

- Eu tinha 19 anos. Cheguei a Nova York estava totalmente perdido. Não sabia onde era o escritorio de jornalismo. Brasileiro nos EUA e igual a cego em tiroteio, não sabe para onde vai. - um sorriso lhe escapou - Ja era duas horas da tarde e minha entrevista estava marcada para as quatro, eu não sabia mais o que fazer, foi quando a vi pela primeira vez. Uma limosine preta parou em frente a uma lanchonete e ela saiu... Lisbeth Angel Spock, a cantora mais famosa do mundo... Diziam que ela tinha 20 anos, mas sua aparencia era de mais nova. Bem qual a melhor impressão que um jornalista novato pode causar se não uma foto e uma pequena filmagem de uma das cantoras e atrizes mais famosas de Nova York. Não demorei-me a decidir atravessei a rua como um louco. Peguei a maquina e o gravador. Comecei a tirar fotos, nunca passou pela minha cabeça que ela era tão bonita, mas meu trabalho era fazer ela sair nas manchetes. Ela entrou junto com um rapaz de no máximo 17 anos. Namorado? Ficante? O que ele era dela? Foram as minhas perguntas principais. Não sabia se isso era informação para mim ou para os jornais.

- E era o que? - perguntou Camilla curiosa

- Era apenas o namorado de uma das garçonetes. - disse Matheus sorrindo - Ela apenas cumprimentou a moça e disse algo para ela ambas sorriram e ela saiu indo em direção a limosine, não antes de responder algumas perguntas e tirar alguma fotos com os fãs e dar autografos. O que mais me surpreendeu foi que ela respondeu minhas perguntas gentilmente. Além de me analizar. Isso e claro me deixou constrangido. Depois dela ir decidi entrar na lanchonete, entrei e fiz um pedido, não saberia se meu dinheiro daria para alugar um pequeno apartamento, e se o escritorio fosse um pouco mais longe se o dinheiro ia dar para ida e volta.

" A garota que eu vi Lisbeth falando com ela me analizava. Eu não importei-me. Estava faminto além de totalmente perdido, não saberia se conseguiria achar o escritório e isso seria um tremendo desperdicio eu ia perder a melhor oportunidade da minha vida, eu realmente estava abalado. Ela se aproximou trazendo meu pedido e eu agradeci. Não imaginava que ela era brasileira como eu."

- Tem tantos brasileiros assim em Nova York? - perguntou Marcos

- Sim, mas tem mais brasileiros em Los Angeles - respondi - Estava nervoso e grato talvez ela me ajudasse a encontrar o lugar que procurava.

" - Esta perdido rapaz? - perguntou-me ela. Fiquei surpreso imdiatamente por ela falar português.

- Sim estou - respondi - Estou procurando o prédio do ECJ, a senhorita sabe onde fica?

- Primeiro: me chame de Sthefanny. Segundo: sim eu sei onde fica o quartel general dos fofoqueiros de plantão e terceiro: como logo seu sanduiche vai esfriar."

- Eu fiquei abismado como ela havia falado, mas achei engraçado. - disse Matheus - Ela não gostou muito. Explicou-me onde ficava o prédio. E fiquei feliz ao saber que chegaria a tempo e que ficava algumas quadras dali e talvez conseguisse o apartamento ou pelo menos uma pequena estalagem. Mas e claro que como jornalista eu não ia perder a chance de saber mais sobre Lisbeth e sua amizade com Sthefanny.

" - Então... Você e aquele rapaz que entrou ali... São namorados? - perguntei. Achei que se começasse com uma abordagem diferente ela me entregaria o jogo.

- Sim - disse ela sorrindo - Fizemos 1 ano de namoro hoje... Ele é a Lis estão palanejando algo... Alguma surpresa aquela menina sabe fazer uma festa!

- Lis? Quem é essa? - perguntei me fazendo de intrigado e claro que a garota caiu na minha. Ao mesmo tempo que eu pegava o meu gravador.

- Oh por favor! - disse-me ela - Lisbeth Angel Spock, você falou com ela ainda pouco.

- Ela e seu namorado são amigos? - perguntei - Porque nossa uma celebridade fazer amizades assim e tão estranho...

- Bem na verdade ela mais minha amiga do que de dele - disse-me ela feliz - Mas, ela e Sanders são amigos des que ela começou a carreira. Ela que nos juntou..."

- Minha irmã era tão famosa assim? - perguntou Camilla

- Muito... - disse ele suspirando - Ser amigo ou amiga de Lis, como todos na lanchonete chamavam era o mundo. Muitos queria a sorte que Sthefanny tinha, mas minha entrevista foi "cancelada" - continuou ele fazendo aspas no ar - A irmã de Sanders apareceu e cortou a nossa sutil conversa.

" - Fanny deixe de ser idiota! - disse a garota segurando o braço da Sthefanny - Ele vai contar tudo para os fofoqueiros. Vá servir as outras mesas que eu cuido desse almofadinha..."

- Fiquei com raiva - disse ele - Ralei muito para chegar onde cheguei e ela me chamar de almofadinha era a coisa mais imprudente. Discuti com ela, então Sanders apareceu, ele não era garçom nem nada, era alguem que poderia dizer que vivia bem... Sua irmã a qual chama-se Sandy, depois que eu fui reparar, não era garçonete so havia se intrometido na conversa. Paguei a conta e sai. Sabia que se eu voltasse para aquela lanchonete eles me colocariam para fora na hora. Fui diretamente para a ECJ, cheguei cedo, mas fui loga atendido. Agora eu tinha que dar tudo de mim. Qual foi minha surpresa que me contrataram na hora depois que mostrei as fotos e a gravação que fiz da Lisbeth e de Sthefanny... Eu estava feito, eles me contrataram, mas pediram para eu continuar anonimo, eles tinham um plano, meio mirabolante, mas seria o golpe do século na mídia se desse certo eles so precisavam de alguém que Lisbeth não conhecesse. Eles queriam que eu me infultrasse na vida dela de uma maneira que nenhum jornalista jamais fez, eu e claro com a promessa de ser reconhecido aceitei rápidamente.

- Qual era esse plano? - perguntou Dona Mariana

- Saber sobre o passado de Lisbeth Angel Spock - disse Matheus - Eles queriam A história dela, não aquela que sempre foi contada na mídia por ela e seu tutor e antigo empresário. Eles queriam o Passado dela na primeira página dos jornais!  - suspiro - Minha chegada a Nova York era a cartada de mestre dos jornalistas da ECJ. Comigo eles conseguiriam o que mais desejavam. Lisbeth na mão deles.

Última alteração por Dandy L. (21-07-2010 19:54:12)


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#20 21-07-2010 20:21:27

Mandy
Moderadora
De: Liverpool
Cadastrado: 13-02-2010
Posts: 1536

Re: A Poesia da Vida

Marao Gemea *--*
Vc eh mto boa nisso!

Qro mais

;**


(Du Cantara) (Vancover Vonn Fairy) (Saullen) (Floratt)

Offline

 

#21 21-07-2010 20:28:11

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Amanda escreveu:

Marao Gemea *--*
Vc eh mto boa nisso!

Qro mais

;**

Own Thanks Gemea!! *-*


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#22 21-07-2010 21:57:46

And Martins
Megafã
De: Vampirilândia
Cadastrado: 14-05-2009
Posts: 900

Re: A Poesia da Vida

Passei aqui, *-* rs, eu li o prólogo.

Adorei, apesar de ser triste D: own , vou ler os capitulos que postou assim que der, ok? Parabens *-*  bjs


Dont keep Calm, and slap that bitch, hard. Leia Manhattan

Offline

 

#23 21-07-2010 23:46:53

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

And Martins escreveu:

Passei aqui, *-* rs, eu li o prólogo.

Adorei, apesar de ser triste D: own , vou ler os capitulos que postou assim que der, ok? Parabens *-*  bjs

Own *-* Obrigada And ^^

^^


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

#24 22-07-2010 01:32:44

Asile Dardan
Superfã
Cadastrado: 21-05-2009
Posts: 449

Re: A Poesia da Vida

Nem fui a primeira dessa vez!
snif snif
kkkkkkkkkkkkk
Muitooooooooooooooooooooooooooo bom Dandy!
Amei


- O futuro pertence, a quem acredita na beleza de seus sonhos! -
           
          Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ ... ~ Elisa Poмραttuя ~ ... Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

Offline

 

#25 22-07-2010 01:53:10

Dandy L.
Ultrafã
De: Rio de Janeiro
Cadastrado: 26-02-2009
Posts: 1335

Re: A Poesia da Vida

Asile Dardan escreveu:

Nem fui a primeira dessa vez!
snif snif
kkkkkkkkkkkkk
Muitooooooooooooooooooooooooooo bom Dandy!
Amei

Vai ter a proxima amore ....
Obrigada por comentar ^^

Chocolate Kiss =*


Leiam: A Poesia da Vida e Leiam: A Rosa Vermelha - A história de uma Assassina
Obrigado meu amigo por existir e me ajudar nos momentos mais dificies da minha vida... TE amo Daniel (L)

∂ลи∂∂ลяล ℓเรвэ†ђ

Offline

 

Rodapé do fórum

Powered by PunBB
© Copyright 2002–2005 Rickard Andersson