testeSemana especial Liane Moriarty

O que falar sobre Liane Moriarty? Conhecida por seus best-sellers já publicados pela Intrínseca (Pequenas grandes mentiras, Até que a culpa nos separe e O segredo do meu marido), a autora ganha uma semana especial feita por nossos blogueiros parceiros, aproveitando o lançamento de O que Alice esqueceu.

No início do especial foram divulgadas as resenhas sobre o novo livro, que retrata a história de Alice, uma mulher de 29 anos que acredita ter a vida perfeita até que acorda no chão da academia e descobre que dez anos se passaram. Ela agora tem 39 anos, três filhos e um divórcio em andamento. Enquanto tenta descobrir como reverter sua amnésia, ela tem que lidar com a pessoa que se tornou: alguém de quem ela não gosta nem um pouco.

Scheila Flores, do blog Guardiã da Meia-Noite, disse que, mesmo não gostando de livros na terceira pessoa, adorou e se identificou muito: “Mesmo narrado em terceira pessoa (o que não é muito a minha praia), a autora consegue dar um ritmo ágil e delicioso à trama, onde vamos montando pouco a pouco um lindo mosaico sobre a vida de Alice, com capítulos/passagens sob o seu ponto de vista, mas também alternando entre outros personagens muito importantes para a reconstrução da vida dessa mulher que realmente poderia ser qualquer uma de nós.”

Já o blog Além do Livro ressalta que o verdadeiro valor da obra está nas entrelinhas: “Se na superfície O que Alice esqueceu nos faz pensar sobre o amor – seja ele entre homem e mulher, mãe e filho, amigos ou irmãos –, quando entramos em suas camadas mais profundas, a história nos leva além. Reforça o valor das lembranças, mas também revela a beleza do não saber. E nos apresenta novas perspectivas que nos mostram que quase sempre é possível perdoar e reconstruir.”

Laura Brand, do blog Nostalgia Cinza, conta que o livro também traz uma reflexão sobre nós mesmos: “Alice é uma mulher que se vê perdida em níveis bem mais profundos do que sua falta de memória aparenta. Ela percebe que se tornou alguém irreconhecível para si mesma e isso nos faz pensar sobre nossas próprias escolhas e nossas expectativas para o futuro.”

(Foto: @AsasdeTinta)

Em seguida, os outros livros de Liane foram revisitados. O blog A Menina que Comprava Livros fez um ranking com seus favoritos, elegendo como primeiro lugar O segredo do meu marido, lançado em 2014. Opinião compartilhada com a página Resenhas de Algodão, que contou um pouco da sua história com a autora e destacou o trecho: “Nenhum de nós conhece todos os possíveis cursos que nossas vidas poderiam ter tomado. E provavelmente é melhor assim. Alguns segredos devem ficar guardados para sempre.” Para o blog Por Essas Páginas, contudo, o favorito é Pequenas grandes mentiras, que deu origem à série Big Little Lies, da HBO. Eles descreveram o livro como “envolvente e surpreendente, escrito por uma autora que não tem medo de enfiar o dedo na ferida”.

(Foto: @stebookaholic)

Além disso, ao longo da semana os blogueiros também falaram sobre os principais temas trabalhados por Liane e as adaptações de suas obras para os meios audiovisuais. Todo o conteúdo do especial pode ser conferido aqui:

Resenha O que Alice esqueceu:

A Mãe Preta | A Menina que Comprava Livros | Abdução Literária | Além do Livro | Asas de Tinta | Borogodó | Colecionando Primaveras | Conjunto da Obra | Danuza e os Livros | Entrando Numa Fria | Eu Insisto | Guardiã da Meia-Noite | Hey Evellyn | SteBookaholic | Kids Indoors | Livro In Cena | Magia Literária | Mais Que Livros | Nostalgia Cinza | Parafraseando Livros | Por Essas Páginas | Resenhas de Algodão | Sobre um Livro | Talvez Geek | Vagando e Divagando | Viagem Literária | Viaje na Leitura

Outros livros da autora:

A Menina que Comprava Livros | Além do Livro | Conjunto da Obra | Danuza e os Livros | Entrando Numa Fria | Eu Insisto | Feed Your Head | Guardiã da Meia-Noite | Hey Evellyn | SteBookaholic | Mais Que Livros | Nostalgia Cinza | Parafraseando LivrosPipoca Nerd | Por Essas Páginas | Resenhas de Algodão | Talvez Geek | Vagando e Divagando | Vai Lendo |  Viaje na Leitura 

Os temas de Liane:

Conjunto da Obra | Entrando Numa Fria | Guardiã da Meia-Noite | SteBookaholic | Mais Que Livros | Nostalgia Cinza | Por Essas Páginas | Viaje na Leitura 

Adaptações para TV e cinema:

Danuza e os Livros | Feed Your Head | Livro Lab | Mais Que Livros | Portal Ju Lund | Vagando e Divagando 

Depois de conhecer melhor o estilo inconfundível da autora, a conclusão é clara: seja pelo mistério, pelas reviravoltas ou pelos personagens que são gente como a gente, O que Alice esqueceu, Pequenas grandes mentiras, Até que a culpa nos separe e O segredo do meu marido são livros que você não vai querer parar de ler. 

 

Leia um trecho de O que Alice esqueceu

testeUm cavalheiro em Moscou na TV

Uma reação comum ao terminarmos a leitura de Um cavalheiro em Moscou é tentar imaginar a vida de luxo, os personagens excêntricos que passaram pelos corredores do Hotel Metropol e, é claro, a icônica figura do Conde, que habitou o lugar por mais de 30 anos. Agora, os leitores poderão visualizar essas e outras histórias na TV com uma nova série inspirada no apaixonante livro de Amor Towles!

Produzida e estrelada por Kenneth Branagh – que você conhece ou como o Professor Lockhart de Harry Potter ou, mais recentemente, como o detetive Poirot em Assassinato no Expresso do Oriente –, a produção ainda não tem data de estreia confirmada e será dirigida por Tom Harper, de Peaky Blinders.

testeConheça Nix, romance que será adaptado para TV com Meryl Streep e produção de J.J. Abrams

Ácido romance que mescla cultura pop e a polarização política nos Estados Unidos (e na internet), Nix chega às livrarias brasileiras a partir de 25 de abril. Elogiado livro de estreia de Nathan Hill, a obra vai inspirar o primeiro projeto de Meryl Streep para a TV. Os direitos foram adquiridos pela Warner Bros e a produção será de J.J. Abrams (ainda sem data de estreia).

Em Nix, Samuel Andresen-Anderson é um fracassado. Professor universitário e escritor promissor no passado, ele vive entre o desinteresse de seus alunos, longas horas de videogame e a culpa por nunca ter terminado o livro pelo qual recebeu uma generosa quantia.

A monotonia de sua vida é interrompida quando ele descobre que Faye, sua mãe, cometeu um crime absurdo que atrai a atenção da internet e de todos os noticiários. Para Samuel é uma surpresa ainda maior quando, ao contrário da imagem de boa moça que se casou cedo com o namoradinho da escola, a mídia passa a retratar sua mãe como uma hippie radical de passado sórdido.

Ao descobrir que não sabe nada a respeito da própria mãe, que abandonou a família quando ele era apenas uma criança, Samuel precisa confrontar não apenas o passado de Faye, mas também o fantasma de um amor perdido. Engraçado e inteligente, Nix apresenta uma trama ao mesmo tempo contemporânea e atemporal, ao abordar as dores cíclicas de uma família através de gerações que mal se conhecem.

testeMulheres à beira de um ataque de nervos

Por João Lourenço*

Você tem mania de limpeza? É viciada em calmantes? Sempre está com uma taça de champanhe na mão? Fala alto, conversa sozinha, interrompe as pessoas e gosta de ser o centro das atenções? É hipocondríaca, apresenta instabilidade emocional? Suas amigas te deixam louca? Ou é você quem enlouquece suas amigas? Cuidado, você pode ser uma neurótica! Na verdade, esse termo não tem o mesmo peso que tinha no passado. Em geral, a tal da neurose não se trata mais de algo clínico. Qualquer comportamento exagerado, um pouco fora dos padrões, pode ser tido como neurose… Mas não se preocupe, um pouco de neurose não faz mal a ninguém. Louco é aquele que nunca perde o controle. 

São vários os tipos de neuróticas. As mais comuns são aquelas que têm consciência da condição e abraçam essa característica. Há também as neuróticas enrustidas, aquelas que tentam mudar, controlar a neura. Esse é o caso da Eleanor Flood, protagonista do novo romance de Maria SempleHoje vai ser diferente. Eleanor não é má pessoa — assim como a maioria das neuróticas também não são. Eleanor é o tipo de mulher que faz listas mentais de tudo que precisa ser diferente em sua vida. Ela quer muito mudar: deseja ser uma mãe melhor, uma amiga melhor, uma esposa melhor. Enfim, uma versão melhor de si mesma. Porém, assim como na vida real, muitos imprevistos e surpresas desagradáveis surgem na vida de Eleanor.

Como não pirar quando tudo desmorona? Apesar de tantos obstáculos, Eleanor tenta encontrar soluções inusitadas para os problemas do cotidiano. Ela é uma personagem cativante que garante boas risadas e reflexões sobre as nossas neuroses do dia a dia. Irônico, engraçado e humano, a história de Eleanor está em processo de adaptação para a telinha, tendo Julia Roberts no papel principal — para neurótica nenhuma botar defeito. 

Abaixo, selecionamos seis personagens neuróticas de filmes e seriados de TV. Ame ou odeie-as. 

 

Carrie Bradshaw — Sex and the City

 

A série televisiva Sex and the City abriu o caminho para produções originais que abordam o universo feminino. Quem nunca quis sentar para um brunch com Samantha, Charlotte, Miranda e Carrie? Esta última sempre foi a personagem que mais dividiu opiniões. Carrie é independente, fashionista, assina uma coluna semanal sobre sexo para o jornal The New York Star e mora em um charmoso apartamento no coração de Manhattan. Ela é a it girl que você quer ser amiga e, às vezes, também consegue ser aquela pessoa insuportável que queremos distância: narcisista, egoísta e cheia de manias. É a típica neurótica que fuma um cigarro atrás do outro e não sai de casa até o “contatinho” ligar. Carrie Bradshaw, apesar de boa amiga, sempre quer ser o centro das atenções. 

 

Chris — I love Dick 

 

Por muitos anos, Kathryn Hahn estrelou como coadjuvante em filmes independentes. Na série da Amazon I Love Dick, ela rouba todas as cenas. Chris é uma cineasta que não produz nada original há anos. Frustrada com a profissão, ela decide seguir o marido, Sylvester (Griffin Dunne), para uma cidadezinha no interior do Texas, onde ele ganhou uma bolsa para estudar na famosa instituição do artista plástico Dick (Kevin Bacon). Em proporções diferentes, o casal se apaixona pelo sedutor Dick. Chris cria inúmeras fantasias e conspirações sobre Dick e transforma tudo isso em um diário picante. Para chamar a atenção do seu objeto de desejo, ela imprime o diário e distribui para a cidade inteira ler. Além de perseguir Dick por todos os cantos, a personagem de Chris se humilha, cria cenas que causam vergonha alheia — no espectador e nos outros personagens — e faz jogos mentais com o marido. Ou seja, um prato cheio! Ela é a mulher mais imprevisível da telinha. 

 

Madeline — Big Little Lies

 

Além de produtora da badalada série da HBOBig Little Lies, baseada no romance Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty, Reese Witherspoon também encarnou uma das protagonistas: Madeline. Ela é aquela neurótica que sabe que é neurótica, mas não tem nenhuma vontade de mudar. Madeline mora em uma mansão de frente para o mar, tem tudo que o dinheiro pode oferecer, porém sempre está entediada. Ela está no segundo casamento e é mãe de duas filhas. Pense em uma mãe tigre, aquela que se envolve nas brigas das meninas. Ela também não mede esforços para criar climão com quem se mete em seu caminho. Madeline arruma confusão até com o prefeito da cidade. A última palavra é sempre dela e ela não pensa duas vezes antes de te mandar para aquele lugar. Todos temem a sua língua ferina. Madeline é control freak, se apega a pequenos detalhes e sabe da vida de todo mundo. Mas não é só de barraco que ela sobrevive. Madeline também protege e aconselha as amigas desafortunadas.  

 

Brooke Cardinas — Mistress America

 

No tragicômico Mistress America, fica difícil acompanhar a rotina e as ambições da personagem Brooke Cardinas. Interpretada por Greta Gerwig, que coassina o roteiro do longa, Brooke é um retrato irônico da geração millennial. Brooke faz um pouco de tudo, mas não termina nada que começa. Ela pretende abrir um restaurante, mas, enquanto o sonho não se concretiza, trabalha como decoradora, designer de moda, instrutora de SoulCycle e tutora de matemática para adolescentes ricos. Ufa! Brooke acredita que as pessoas só se aproximam dela para roubar as suas ideias. Esse lado supersticioso e neurótico da personagem rende boas gargalhadas. Em tempos de crise, Brooke apela até para clarividentes. Ela é um personagem que não percebe que muitos de seus sonhos são irrealizáveis. Mas ela jura que: “Sei tudo sobre mim mesma, é por isso que não posso fazer terapia.”

 

Jasmine — Blue Jasmine 

 

O diretor do longa Blue Jasmine, Woody Allen, ficou conhecido por criar personagens neuróticos — lembra de Annie Hall? Em todos os filmes de Allen você encontra personagens que apresentam algum tipo de transtorno obsessivo compulsivo: pessoas que falam demais, excêntricas, paranoicas, desconfiadas até da própria sombra. Em Blue Jasmine não é diferente. Jasmine é uma socialite nova-iorquina que tem a vida virada do avesso quando o marido vai preso, deixando ela na rua da amargura. Jasmine começa a sofrer de transtorno delirante, ou seja, ela não aceita a nova realidade. Então faz de tudo para manter as aparências. Ela apresenta todas as características de uma neurótica de carteirinha: fala sozinha, aborda estranhos na rua para conversar sobre a vida privilegiada que tinha com o marido e por aí vai. Ela também apresenta delírios de grandeza e é compulsiva por compras e roupas de grife. Quando nada faz efeito, ela tenta se acalmar com uma mistura poderosa de calmante e champanhe. O papel rendeu o segundo Oscar da carreira de Cate Blanchett. 

 

Aura — Tiny Furniture 

 

Antes de ser a controversa Hannah Horvath, no seriado Girls, Lena Dunham dirigiu e escreveu Tiny Furnitures. No filme independente, Dunham interpreta Aura, uma recém-graduada em Teoria do Cinema que não sabe o que fazer com o diploma — e com a própria vida. Aura explora os conflitos comuns a qualquer pessoa, como a transição da juventude para a idade adulta. Ela volta a morar na casa dos pais, mas percebe que a mãe e a irmã mais nova estão distantes e não precisam dela por perto. Aura também não consegue mais se conectar com os amigos de infância. À deriva, entediada e sozinha, ela começa a fazer amizades com webcelebridades do YouTube e passa a trabalhar como ajudante em um restaurante. Para completar, ela tem aquele famoso “dedo podre” para homens, só se envolve com gente comprometida ou emocionalmente distante. 

 

João Lourenço é jornalista. Passou pela redação da FFWMAG, colaborou com a Harper’s Bazaar e com a ABD Conceitual, entre outras publicações estrangeiras de moda e design. Atualmente está em Nova York tentando escrever seu primeiro romance.

 

testeO mistério de Noah Hawley, criador de Fargo e Legion

Antes da queda explora os diferentes perfis dos personagens envolvidos em um trágico acidente aéreo que deixa apenas dois sobreviventes: um garoto de quatro anos, filho do milionário dono de um império de mídia nos Estados Unidos e, estranhamente, um pintor fracassado, que salvou a vida do menino, mas não tinha relação alguma com nenhum dos passageiros ou tripulação. Não por acaso, ele se torna suspeito de derrubar o jatinho.

Essa mistura de investigação policial, mistério e exploração de perfis é uma das marcas do autor, que tem uma extensa carreira na televisão. Conheça um pouco mais das incríveis produções de Noah Hawley:

Fargo

Originalmente um filme dirigido pelos irmãos Coen, Fargo é uma comédia de humor negro que mostra uma série de personagens em situações horríveis, de tentativas de assassinato de esposas a golpes em seguradoras, todas de uma forma ou outra envolvendo a cidade de Fargo, no estado americano da Dakota do Norte.

Com três temporadas abordando personagens, linhas do tempo e acontecimentos completamente distintos, a série inspirada no filme já ganhou prêmios no Emmy e Globo de Ouro, além de contar com um elenco de atores de Sherlock, Star Wars, Better Call Saul, How I Met Your Mother e outros.

Legion

David Heller foi diagnosticado com um caso grave de esquizofrenia e passou a vida inteira em hospitais psiquiátricos. Depois de encontrar uma paciente e aparentemente assumir sua vida, a suspeita de que ele possa ser muito mais do que alguém com transtornos mentais começa a ser cada vez mais forte.

Criada em parceria com a Marvel, a série mostra a conturbada vida do filho do professor Charles Xavier, de X-men. Legion é estrelada por Dan Stevens, que foi a Fera no recente A Bela e a Fera.

Cinema

Além das séries de TV, Noah Hawley já está com projetos para o cinema em andamento. O autor está trabalhando no filme de Antes da queda, em produção pela Sony Pictures, e escrevendo um roteiro para a Universal, que integra o universo de monstros iniciado com o novo filme de A múmia.

testeIntrínseca publica livro de Maria Semple que inspirou nova série de TV com Julia Roberts

Em agosto, chega às livrarias brasileiras Hoje vai ser diferente, romance de Maria Semple que inspirou a nova série da HBO que será protagonizada pela atriz Julia Roberts.

Roteirista de sucessos da televisão americana, como o semanal Saturday Night Live e os seriados Mad About You e Arrested Development, Maria Semple também será roteirista da atração que ainda não tem data de estreia definida.

Hoje vai ser diferente (Today Will Be Different) é uma história hilária e otimista sobre uma mulher que acorda determinada a ser a melhor versão dela mesma. Na trama, Eleanor Flood sabe que sua vida está uma bagunça, mas, um dia decide fazer diferente. Ela vai tomar banho e vestir roupas decentes. Vai à aula de ioga depois de deixar o filho, Timby, na escola. Vai almoçar com uma velha amiga. Não vai suar. E vai transar com o marido. Mas, antes mesmo de começar, a vida já lhe dá uma rasteira, forçando Eleanor a abandonar suas humildes ambições e acordar para um novo e inesperado futuro. 

 

Julia Roberts participa também da aguardada adaptação de Extraordinário, livro de R.J. Palacio que narra a história de Auggie Pullman, um garoto que tem uma deformidade facial e que enfrentará a escola pela primeira vez. No filme dirigido por Stephen Chbosky (As Vantagens de ser Invisível), Julia Roberts interpretará a mãe de Auggie (Jacob Tremblay). Com Owen Wilson, Daveed Diggs e Sônia Braga, Extraordinário chega aos cinemas em 23 de novembro.

 

testeMelhores livros de 2016 – GoodReads Choice Awards

goodreads

Entre os melhores livros do ano do GoodReads Choice Awards, três são da Intrínseca! Os vencedores foram escolhidos por leitores do mundo todo.

O Oráculo Oculto, primeiro livro da nova série As provações de Apolo, foi o eleito na categoria Infantojuvenil. A trama apresenta o novo herói de Rick Riordan: Apolo que, depois de despertar a fúria de Zeus por causa da guerra com Gaia, é expulso do Olimpo e vai parar na Terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em um beco sujo de Nova York. Fraco e desorientado, ele agora é Lester Papadopoulos, um adolescente mortal com cabelo encaracolado, espinhas e sem abdome tanquinho. Desprovido de seus poderes, a divindade de quatro mil anos terá que descobrir como sobreviver no mundo moderno e o que fazer para cair novamente nas graças de Zeus.

foto_provacoes

 

Na categoria Humor, o título vencedor foi A garota com a tribal nas costas, uma hilária e muitas vezes comovente conversa entre amigas em que Amy Schumer narra suas experiências como filha, amiga, namorada, mulher e comediante. A premiada artista expõe em detalhes as experiências que a tornaram a pessoa que ela é, e reflete sobre temas vividos por muitas outras garotas, como abuso sexual, o longo caminho para entender como confiança e autoestima não devem vir da pessoa com quem você está transando e a conflituosa relação com a mãe.

foto_a_garota_com_a_tribal_nas_costas

 

Já o novo romance de Liane Moriarty, autora de O segredo do meu marido e de Pequenas grandes mentiras — livro que inspirou a série Big Little Lies que estreia em fevereiro de 2017 na HBO com Shailene Woodley, Nicole Kidman e Reese Witherspoon no elenco — foi o escolhido na categoria Ficção. Truly Madly Guilty será lançado no Brasil em junho e traz uma nova abordagem para questões comuns em nossa vida, como casamento, paternidade, amor e amizade. A autora expõe como a culpa é capaz de destruir até mesmo os relacionamentos mais fortes e como às vezes são os momentos mais inocentes que causam os maiores danos.

Veja todos os vencedores.

testeHBO divulga data de estreia de Big Little Lies, série com Shailene Woodley, Nicole Kidman e Reese Witherspoon

bll_blog

Big Little Lies, série baseada no romance Pequenas grandes mentiras, de Liane Moriarty, estreia em 19 de fevereiro de 2017.

Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres que aparentemente têm uma vida comum em uma pequena cidade da Austrália. Madeline é forte e passional. Celeste é dona de uma beleza estonteante e Jane é uma jovem mãe solteira. Os filhos dessas três mulheres estudam na mesma escola, onde acontece uma misteriosa tragédia.

Na produção, Nicole Kidman dará vida a personagem Celeste, Shailene Woodley interpretará a jovem mãe Jane e o papel de Madeline ficou a cargo de Reese Witherspoon. A direção é de Jean-Marc Vallée, conhecido por Clube de Compras Dallas, Livre e A jovem rainha Vitória. Serão sete episódios.

foto_pequenas-grandes-mentiras

 

testeNova York, a cidade cenário

skyline

Da fachada dos prédios, do Central Park ou dos táxis amarelos na rua, todo mundo conhece um pouquinho de Nova York através das séries e dos filmes. A cidade também é destaque na literatura e desperta a atenção de muitos autores. E Wednesday Martin é um desses escritores que encontraram sua inspiração na Big Apple.

untitledEm Primatas da Park Avenue, que teve os direitos adquiridos pela MGM, a autora revela o comportamento singular da tribo de mães milionárias e glamorosas que habita o Upper East Side, a área mais rica da cidade.

Enquanto a adaptação de Primatas da Park Avenue não chega aos cinemas, preparamos uma lista com sugestões de atrações com cenas ambientadas nessa região de Nova York.

link-externo

Leia um trecho

Sex and the City — A série mostra a vida de quatro mulheres solteiras, bonitas e confiantes de Nova York. Melhores amigas, elas compartilham entre si os segredos de suas conturbadas vidas amorosas. Os episódios são narrados pela protagonista, a escritora e colunista Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker). A determinada Miranda Hobbes (Cynthia Nixon) é uma advogada que deseja sucesso na carreira e na vida amorosa. A insegura Charlotte York (Kristin Davis) é uma comerciante de arte vinda de uma família rica. Já Samantha Jones (Kim Cattrall) é uma loira fatal que está sempre à procura de um bom partido.

gossipgirl2

Gossip Girl — A série, cujo foco são jovens estudantes das escolas de elite do Upper East Side, acompanha Serena van der Woodsen (Blake Lively) a partir do seu retorno à cidade após fugir e ter se mantido fora do alcance de amigos e conhecidos. Os acontecimentos e histórias de cada personagem são divulgados na internet por uma blogueira anônima que atende pelo pseudônimo “Gossip Girl”.

Odd Mom Out — A série é protagonizada por Jill Jardman, que interpreta uma versão satírica de si mesma, forçada a lidar com o universo das ricas mães que residem no Upper East Side.

Breakfast-at-Tiffanys-1600x1019_c

Bonequinha de Luxo — Holly Golightly (Audrey Hepburn) é uma garota de programa nova-iorquina decidida a se casar com um milionário. Perdida entre a inocência, a ambição e a futilidade, ela toma seus cafés da manhã em frente à famosa joalheria Tiffany’s, para tentar fugir dos problemas. Seus planos mudam quando conhece Paul Varjak (George Peppard), jovem escritor bancado pela amante que se torna seu vizinho. Apesar do interesse em Paul, Holly reluta em se entregar a um amor que contraria seu objetivo de tornar-se rica.

The Real Housewives of New York City — O reality show acompanha um grupo de mulheres de Manhattan. Ambição, maternidade, divórcio e amizade fazem parte da vida das participantes.

O Diabo Veste Prada — O filme mostra os percalços da jovem Andrea Sachs (Anne Hathaway) após conseguir um emprego na Runaway, a mais importante revista de moda de Nova York. Ela passa a trabalhar como assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep), principal executiva da revista. Apesar da chance cobiçada por muitos, logo Andrea descobre que lidar com Miranda não é nada fácil.

testePerdidos no mundo de J.J. Abrams

Por Danielle Machado*

Clendenin, Jay –– B581318697Z.1 BEVERLY HILLS, CA––JUNE 5, 2011––Writer and director J.J. Abrams is photographed during promotion of his upcoming film, "Super 8," at the Four Seasons hotel in Beverly Hlls, June 5, 2011. (Jay L. Clendenin/Los Angeles Times)

(Foto por Jay L. Clendenin/Los Angeles Times)

Quem é J.J. Abrams? O cara de Lost, ué. Quer dizer, agora ele é o cara de Star Wars. Lá nos anos 1990, quando a gente via seriado legendado e fora de ordem na TV a cabo, para mim ele era o cara de Felicity.

É. Porque bem antes de jogar o pessoal todo numa ilha esquisita e plantar a semente da dependência em zilhões de espectadores que acompanharam 121 episódios para ver (ou não) no que aquela maluquice ia dar — e com isso ganhar um Emmy já no episódio piloto —, ele cocriou, dirigiu, roteirizou e produziu, não ao mesmo tempo, a singela saga da mocinha que sai de casa para uma universidade em Nova York atrás de um interesse amoroso e vive altas deprês e aventuras. Os episódios sempre começavam com a garota Felicity em seu quarto falando da vida para um gravador. Acho que aí já estava o toque de metalinguagem do moço, a história dentro da história (o que me remete ao S. dentro de O Navio de Teseu, ou vice-versa, se é que cabe dizer assim).

Felicity (1998 – 2002) foi a primeira incursão de J.J. na TV, mas no cinema ele começou bem antes. Com 16 anos escreveu músicas para a trilha de um filme, e seu primeiro crédito como roteirista foi numa comédia estrelada por James Belushi, Milionário num Instante (1990), que algumas pessoas, como eu, devem ter visto na Sessão da Tarde.

A farra nas telonas começa a esquentar de verdade um pouco depois: Armagedon (1998), Missão Impossível (2006), Cloverfield (2008), Star Trek (2009), Super 8 (2011) Eu, que sou menina em busca de heroínas, já voltei para a TV, deixei Felicity para lá assim que a moça cortou o cabelo (não me julguem, a audiência caiu no mundo todo) e me agarrei com a Jennifer Garner (bem antes do Ben Affleck) em Alias (2001- 2006), que J.J. novamente cocriou, dirigiu, roteirizou e produziu, plus: deu de presente para Jenny a bicicleta rosa com a qual ela rodava pelos sets. Inclusive, foi Alias que abriu as portas para J.J. entrar na franquia Missão Impossível. O dono da bola, Tom Cruise, também se identificava com heroínas badass e assistia à série.

Muito cinema, muita TV, uma composição para trilha sonora aqui, uma abertura de seriado ali, mais Emmy, mais Globos de Ouro, e então saltamos para Star Wars, um divisor de águas nessa história toda. Abraçar essa franquia, na Disney, com George Lucas torcendo o nariz… não tem bênção de Spielberg que te proteja. J.J. já afirmou categoricamente que nada foi disneyficado, Lucas alfinetou que o novo filme está com muita conversinha e pouca nave espacial. Agora nos resta aguardar a estreia para conferir.

Enquanto isso, nada de ir para a Netflix ver mais coisas do J.J.: se você quer conhecer a verdadeira essência dele, leia o S.. Estão lá o mistério insondável de Lost, os dilemas de Felicity, o suspense de Alias, um toque de Fringe, uma pitada de Person of Interest — várias nuances misturadas num incrível quebra-cabeça literário que vai mudar o jeito que você vê um livro. Abra com cuidado, e se perca em S. com J.J. Abrams.

Conheça S.

 

Danielle Machado é editora. Gosta de cinema, TV, livros, internet e quaisquer outros entretenimentos que se possa desfrutar sentado no sofá, sem gastar energia. Agora mesmo está exausta.