PEDRO GABRIEL

Pedro Gabriel nasceu em N’Djamena, capital do Chade, em 1984. Filho de pai suíço e mãe brasileira, chegou ao Brasil aos 12 anos — e até os 13 não formulava uma frase completa em português. A partir da dificuldade na adaptação à língua portuguesa, que lhe exigiu muita observação tanto dos sons quanto da grafia das palavras, Pedro desenvolveu talento e sensibilidade raros para brincar com as letras. É formado em publicidade e propaganda pela ESPM-RJ e autor de Eu me chamo Antônio Segundo – Eu me chamo Antônio.
Pedro escreve às terças.

VEJA TODAS AS COLUNAS PUBLICADAS

Pedro Gabriel

Uma estrada chamada 2017

27/12/2016

Finalmente consegui programar meu GPS criativo para essa nova estrada que começará a ser percorrida em 2017

Pedro Gabriel

Escrever é mandar nudes para a página em branco

13/12/2016

Quem escreve está totalmente despido. O poeta está nu quando constrói seus versos.

Pedro Gabriel

O guardanapo de vidro

14/11/2016

Agora, à minha frente, um imenso guardanapo de vidro se faz vivo.

Pedro Gabriel

SOBRE POEMAS E GIRAFAS

1/11/2016

Entrar no universo dessas crianças me fez ganhar tudo o que eu achava ter perdido ao longo do tempo.

Pedro Gabriel

[O LIVRO MAIS DESGASTADO DA MINHA ESTANTE]

18/10/2016

O livro mais desgastado da minha estante usa bigode e tem a pele alaranjada.

Pedro Gabriel

O verso da criação – a colisão, o nó e as palavras

20/09/2016

Todo livro, no fundo, é uma tentativa de responder a uma grande pergunta.

Pedro Gabriel

O verso da criação – uma abertura sonora

6/09/2016

Pedro Gabriel fala dos bastidores de seu novo livro, Ilustre Poesia

Pedro Gabriel

O verso da criação – a escolha do nome

23/08/2016

Tive a oportunidade de ver pela primeira vez Ilustre Poesia impresso. Foi uma emoção rara;

Pedro Gabriel

A poesia pode andar de chinelo

21/06/2016

Para que tanta pose para escrever poesia?

Pedro Gabriel

Uma casa sem quintal não sabe o que é poesia

7/06/2016

Toda criança quando cresce deveria virar quintal.