Listas

5 motivos para ler O árabe do futuro

14 / julho / 2017

A série autobiográfica O árabe do futuro conta a história de Riad Sattouf, um menino filho de mãe francesa e pai sírio, que ainda bem pequeno vai morar na Líbia e depois na Síria. Os primeiros três livros englobam os anos entre 1978 e 1987, período em que os dois países árabes passavam por regimes ditatoriais.

Vencedor do prêmio principal do Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême, em 2015, o graphic novel teve mais de 90 mil exemplares vendidos na França e foi traduzido para 16 línguas. Riad Sattouf é um renomado quadrinista francês e ex-colaborador da revista Charlie Hebdo. Tem 17 livros publicados e também atua como roteirista e diretor de cinema. 

Separamos cinco motivos pelos quais você não pode deixar de conhecer a série O árabe do futuro:

 

1 – Quem não gosta de aprender se divertindo?

Não é preciso ser amante de história para gostar do livro, mas o pano de fundo da série vai fazer com que você aprenda sem perceber. Acompanhando o dia a dia de Riad, conhecemos o quadro político e cultural de três países e as diferenças entre eles. O livro verde de Kadhafi, os conflitos entre sunitas e xiitas e o posicionamento do Ocidente frente a Israel são assuntos muito comentados pelo pai do menino, um homem muito inteligente e crítico, mas ainda com muitos pensamentos conservadores da época. Pelos olhos do autor, vemos como é crescer dentro da cultura islâmica, divido entre dois mundos completamente opostos.

 

2 – O rei dos baixinhos

É o olhar infantil de Riad que transforma temas complexos em momentos irônicos e cômicos. A ingenuidade do menino nos apresenta o cotidiano de um mundo que conhecemos apenas através de manchetes de jornais, fazendo uma análise livre dos estereótipos com que geralmente olhamos para a cultura árabe. Crianças briguentas reproduzindo discursos de guerra, racionamento de comida e professores violentos são aspectos distantes da nossa realidade, mas ainda assim essas memórias nos fazem relembrar nossa própria infância. Mesmo que não tenhamos crescido em meio a uma ditadura, quem nunca brigou com os amigos na escola, comeu até passar mal ou odiou um professor?

 

3 – Para os fãs de Persépolis e Maus


Assim como Maus e Persépolis, a série apresenta uma visão distinta sobre um conflito cultural que marcou — e ainda marca— uma geração. O embate ideológico entre Ocidente e Oriente está presente diariamente em todos os principais veículos de informação, mas raramente temos a chance de observar esse mundo de perto. As consequências dos regimes autoritários árabes perduram até hoje, mas a realidade desses países é muito distante do nosso dia a dia. Por isso, a experiência de alguém que viveu naquele período é essencial para entendermos as nuances do conflito. Assim como Persépolis, O árabe do futuro acompanha a vida do autor, mostrando as dificuldades e desafios de crescer em um regime autoritário e repressor. Essas obras provam que histórias em quadrinhos não são só para crianças. O traço, as cores e os diálogos tornam a história interessante, profunda e ao mesmo tempo leve.

 

4 – Nostalgia e alegria

Mesmo na Síria, a cultura pop da década de 1980 não passou despercebida. Se você viveu essa década, vai adorar ter um momento nostálgico com Riad. No terceiro livro, o menino se inspira em Conan, o bárbaro para enfrentar as crianças malvadas do vilarejo, juntando gravetos para fazer sua arma e reproduzindo a careta de Arnold Schwarzenegger.

 

5 – É uma história sobre a dificuldade de se encaixar

O livro aborda ditaduras, tradições religiosas e conflitos culturais, mas também é uma história sobre um menino tentando se encaixar. Seu cabelo loiro já destoa na multidão, mas a falta de conhecimento sobre a língua e a religião fazem com que ele se sinta um peixe fora d’água, um estrangeiro tanto na Europa quanto no Oriente Médio. Ao longo dos livros, vemos Riad se aventurando pelas práticas islâmicas, buscando a aceitação de seus amigos e observando com curiosidade as tradições dos países. Com isso, aprendemos junto com ele as tradições dos países. O resultado é que nós, leitores, também aprendemos muito com ele. 

 

O terceiro livro da série já está disponível nas livrarias! Saiba mais

Leia mais Listas

Revivendo o passado através de O árabe do futuro

Revivendo o passado através de O árabe do futuro

[O ÁRABE DO FUTURO: A LEITURA DO PRESENTE]

[O ÁRABE DO FUTURO: A LEITURA DO PRESENTE]

Mulheres à beira de um ataque de nervos

Mulheres à beira de um ataque de nervos

17 livros para conhecer na Bienal do Livro Rio

17 livros para conhecer na Bienal do Livro Rio

Comentários

Uma resposta para “5 motivos para ler O árabe do futuro

  1. Parece ser um ótimo livro, mostra como a mídia penetra e nos mostra as distintas de migração de costumes atraves da mídia. A cena de conan arrancando a cabeça de seu inimigo ou ate mesmo as incríveis inacabaveis guerras do rambo, nos traz para um paradoxo real e unireal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *