Notícias

O amor segundo Buenos Aires

11 / março / 2016

 

capa_blog
Com largas avenidas, cafés em estilo europeu e bairros charmosamente decadentes, Buenos Aires é o lugar perfeito para histórias de amor inesquecíveis. A capital argentina é cenário e, ao mesmo tempo, personagem do primeiro romance de Fernando Scheller, repórter do jornal O Estado de S. Paulo que já passou pelas redações de Gazeta do Povo, TV Globo e Deutsche Welle, na Alemanha.

Em O amor segundo Buenos Aires, Scheller oferece a cada personagem a chance de narrar suas escolhas e percepções sobre diferentes formas de amor, como entre pai e filho, um homem e uma mulher, dois homens e também entre amigos.

O novo romance nacional da Intrínseca chega às livrarias em 15 de abril, mas os leitores já poderão conhecer a prosa de Fernando Scheller aqui no blog. A partir da próxima quinta-feira, dia 17, o jornalista passa a colaborar semanalmente com colunas ficcionais sobre relacionamento e textos que exploram os bastidores do livro, como as músicas que o inspiraram e os motivos que o fizeram se apaixonar por uma das mais atraentes capitais da América Latina.

 

Aproveite e leia um trecho do romance:

 

Leia mais Notícias

Todos envolvidos

Todos envolvidos

O Regresso ganha 3 prêmios no Oscar 2016

O Regresso ganha 3 prêmios no Oscar 2016

Para todos os garotos que já amei vai virar filme com Lana Condor

Para todos os garotos que já amei vai virar filme com Lana Condor

Netflix adquire direitos de Caixa de pássaros

Netflix adquire direitos de Caixa de pássaros

Comentários

2 Respostas para “O amor segundo Buenos Aires

  1. O livro parece ser muito bem estruturado, com personagens interessantes e com uma história muito sensível! Amei, estou louca pra ler!

  2. Saboreei cada capítulo deste delicioso romance do Fernando Scheller, onde Buenos Aires, além de cenário, é também personagem e voz. Junto com a voz de cada personagem pude percorrer, mais uma vez, as ruas da minha amada cidade. Fica registrado aqui meu desejo de traduzir o livro para que meus compatriotas possam também se deleitar com suas linhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *