Notícias

A história real que inspirou A febre

30 / setembro / 2015

2015TheFalling_Press3_140415.gallery

Em 2012, um surto misterioso ocorrido na pequena cidade de Le Roy, nos Estados Unidos, chamou a atenção da mídia. Cerca de 20 garotas começaram a apresentar tiques nervosos e sintomas como desmaios e convulsões. O caso teve destaque nas páginas de jornais de vários lugares do mundo, mas foi nas redes sociais que ganhou força.

Apesar da proximidade física e social, as garotas contaminadas compartilhavam vídeos e mensagens sobre os tiques no Facebook e no Youtube. De acordo com os médicos que analisaram o caso, o conteúdo divulgado na internet foi uma das principais razões de o surto ter se espalhado rapidamente. Eles alegaram que as pessoas ficavam impressionadas com as imagens e passavam a apresentar os mesmos sintomas após ter contato com o material.

Entre as hipóteses levantadas, os médicos acreditam que o caso foi uma espécie de histeria coletiva, fenômeno que de tempos em tempos atinge pessoas mais vulneráveis a distúrbios de ansiedade. Sem diagnóstico definitivo e causa aparente, o surto foi estudado também por um grupo de ambientalistas liderado pela ativista Erin Brockovich, que suspeitava de um composto químico tóxico derramado havia 40 anos na região e que poderia ser o responsável pela epidemia.

O fato misterioso gerou tanta repercussão que despertou o interesse da autora Megan Abbott. Impressionada, ela decidiu escrever A febre. Megan conta que sempre quis criar uma história que tivesse uma conexão com a peça As bruxas de Salém, de Arthur Miller. Mas a inspiração só veio quando o surto das meninas de Le Roy veio à tona.

Após assistir a entrevistas com pais, amigos e com as meninas acometidas pela doença, a autora começou a desenvolver a obra. No livro, Deenie e Lise estudam na mesma escola e são amigas inseparáveis. Quando Lise sofre uma inexplicável e violenta convulsão no meio da sala de aula, ninguém sabe como reagir. Outras meninas começam a exibir sintomas similares. Entre teorias, especulações e vídeos nas redes sociais, o pânico se alastra pela cidade, ameaçando a frágil sensação de segurança de todos os envolvidos, que não conseguem compreender a causa.

Capa_Afebre_300dpiA febre já foi indicado a Melhor Livro do Ano pelo Strand Critics Award e ficou entre os finalistas do Polio Prize.

link-externoNo dia 08 de outubro, o Clube de Leitura da Livraria Cultura irá discutir A febre na loja do Bourbon Shopping em São Paulo. Os interessados devem enviar um e-mail para renato.costa@livrariacultura.com.br com nome, contato e CPF. Confirme presença aqui.

link-externoLeia um trecho de A febre

link-externoOs lugares escuros de Gillian Flynn ou não apague a luz

Leia mais Notícias

Uma guerra que mudou o futuro dos video games

Uma guerra que mudou o futuro dos video games

Agenda

Agenda

A ditadura acabada, de Elio Gaspari, recebe Grande Prêmio da Crítica de Literatura da APCA

A ditadura acabada, de Elio Gaspari, recebe Grande Prêmio da Crítica de Literatura da APCA

Aconteceu naquele verão chega às livrarias em janeiro!

Aconteceu naquele verão chega às livrarias em janeiro!

Comentários

10 Respostas para “A história real que inspirou A febre

  1. Esta cena que aparece na reportagem é de que filme??????

  2. Oi, Mikaella! A imagem é do filme “The falling”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *