Bastidores, E-books, Notícias

Entre e-books e bruxarias

28 / fevereiro / 2014

Artigo da Cindy e equipe

Há cerca de três anos, a Intrínseca tem uma equipe dentro do departamento editorial que cuida especificamente da produção de e-books da editora. A mobilização para gerar as edições digitais da Coleção Ditadura, de Elio Gaspari, foi intensa e durou praticamente seis meses de trabalho ininterrupto. Mas como um e-book pode dar tanto trabalho? Simples: não é apenas um e-book, e sim 20. A partir de dois formatos padrão, desenvolvemos cinco versões de cada volume, de modo que usuários de diferentes tipos de dispositivos (tablets, smartphones, computadores e e-readers) pudessem ter a melhor experiência de leitura.

Para começar, são quatro títulos. Então, para fazer a versão comum já seriam oito diferentes arquivos – quatro no formato padrão aceito por todas as lojas (ePub2) e quatro no formato específico da Amazon (mobi). A partir do momento em que Adriana Barsotti foi contratada para fazer o casamento de áudios, vídeos e documentos com o texto de Gaspari, entendemos que teríamos que produzir no mínimo quatro versões de cada título: além das duas comuns, mais duas que suportassem áudios e vídeos (ePub3 e KEAV), atualmente disponíveis nas lojas da Apple e da Amazon, respectivamente. No fim do projeto, percebemos que precisaríamos de duas diferentes versões do ePub2 pois as imagens não se comportavam do mesmo modo em todos os aparelhos, então fizemos uma versão exclusiva para um dos aplicativos de leitura.

Pode parecer que a grande dificuldade do projeto são os áudios e vídeos, mas não, boa parte das complicações girou em torno das imagens (sejam elas fotografias históricas ou fac.símiles de documentos). É uma quantidade incrível de imagens em cada e-book! Como conseguiríamos inserir todas elas sem fazer o leitor se perder na leitura? Como faríamos esses e-books com tantas imagens serem leves o suficiente de modo que os leitores não demorassem muito os baixando após a compra? Para a primeira pergunta, veio a ideia dos links. E assim definimos o desenho básico dos e-books de toda Coleção: links no meio do texto que direcionam o leitor para o documento específico, como nos prints a seguir.

Documento 1_artigo da Cindy

 

Documento 2_artigo da Cindy

Não há nada de tecnicamente complicado nessa solução, são apenas links. É mais raro ver um e-book com notas em pop-up, mapa interativo, conteúdo não linear (que estão em nosso ePub3) do que links, que estão em todos os e-books que vocês já viram, mesmo que apenas nos sumários. Mas os links são a grande “inovação” desses e-books porque foi com eles que permitimos que os leitores realmente navegassem pela obra e por parte do incrível acervo de Elio Gaspari.

Esses e-books, para um departamento de produção de e-books, são como a onda perfeita para os surfistas. Foi um trabalho que exigiu muita(s) técnica(s), mas também muita criatividade para que os leitores pudessem tirar o maior proveito de sua leitura. Para isso, contamos com todo o apoio da editora Intrínseca, das ideias de nossos editores Livia de Almeida e Bruno Porto, da pesquisa e da experiência com conteúdo digital de Adriana Barsotti e, para nossa surpresa, do próprio autor. Elio Gaspari não apenas nos presenteou com uma obra sob medida para as soluções tecnológicas dos livros digitais, como também participou apaixonadamente da criação do ePub3, que definiu algumas vezes como “um baile”, e seus recursos como “bruxarias eletrônicas”. Algumas vezes em seu escritório para apresentar nosso trabalho e em todas as vezes senti que conversava com alguém tão “de e-book” quanto eu, Josué e Maria de Fátima, que formam a equipe junto comigo. A imensa preocupação em relação à experiência do leitor (tempo de download, facilidade na navegação pelos links, facilidade de leitura das transcrições, visualização de imagens etc.) nos fez repensar decisões que tomamos em outros e-books da Intrínseca e mudou drasticamente nossa forma de produzi-los.

Somos sinceramente gratos pela enriquecedora experiência que tivemos e agradecemos muitíssimo estarmos em uma editora que aposta alto na qualidade de sua produção digital e trabalharmos com um autor que nos permite testar nossos limites técnicos e estimula a desenvolver mais e mais nossa criatividade.

Texto de Cindy Leopoldo, responsável pelos e-books, com colaborações de Josué de Oliveira e Maria de Fátima.

Leia os outros textos sobre os bastidores da Coleção Ditadura, de Elio Gaspari.

O ano Gaspari

Duas mil e sessenta e oito páginas lançadas em uma única vez

Leia mais Bastidores

A DITADURA REVISITADA

A DITADURA REVISITADA

Kennedy e a deposição de Jango, por Elio Gaspari

Kennedy e a deposição de Jango, por Elio Gaspari

Amigos, amigos, livros à parte

Amigos, amigos, livros à parte

Sobre meu amor por todo o universo Lara Jean

Sobre meu amor por todo o universo Lara Jean

Comentários

13 Respostas para “Entre e-books e bruxarias

  1. Excelente, gente. Muito bom ver esse tipo de preocupação e criatividade com foco na experiência do leitor.
    Parabéns a todos os envolvidos, tenho uma noção do quão complicado deve ter sido viabilizar o projeto.
    PS. Cindy, você devia escrever mais vezes. 😉

  2. Formidável este trabalho.A preocupação com a comunicação ficou evidenciada,pois a ligação entre o autor e o leitor não pode ter interferências.Vejo que a tecnologia envolvente contribuiu muito graças à criatividade da Equipe.Parabéns!

  3. A tua forma de escrever, Cindy, é fantástica, parece que está conversando com o leitor. 😉 parabéns não só pela escrita, como pelo trabalho.
    Parabéns a todos envolvidos também.

  4. Parabéns pelo trabalho e por mostrar que uma equipe em sintonia pode fazer uma produção criativa, mesmo que difícil, atingir o nível desejado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *